À beira do suicídio: Rosa Villa confessa-se a Goucha após dependência de cocaína

Rosa Villa foi entrevistada por Manuel Luís Goucha, na TVI, sobre o período em que foi toxicodependente. Sem filtros, a atriz assumiu que as drogas são muito comuns no meio artístico.

12 Jan 2021 | 21:37
-A +A

Rosa Villa esteve à conversa com Manuel Luís Goucha na emissão desta testa terça-feira do programa das tardes da TVI. Num tom sincero, a atriz revelou um episódio de desespero que poderia ter levado a uma tentativa de suicídio, relacionado com a altura em que consumia cocaína.

“Olhas-te ao espelho, não te conheces e isso… Não sei lidar”, explicou, no formato “Goucha”, sobre o momento em que começou a perceber que precisava de ajuda. “Então, telefonei a uma grande amiga, a Duca, que faz anos no mesmo dia do que eu… Telefonei-lhe e disse ‘Eu não estou a aguentar. Eu quero que tu me internes, senão mato-me.’ Ela, sim, sabia”, confessou. E reforçou: “Eu matava-me, Manel. Se não conseguisse, eu matava-me.”

Nesse momento, Manuel Luís Goucha perguntou o que Rosa Villa fez quanto ao trabalho. “Deixei de trabalhar. Não quis. Telefonavam-me e eu dizia que não estava em Lisboa, que estava doente”, clarificou a atriz.

A atriz defendeu que, por “respeito” ao seu trabalho, apenas se mostrou disponível para regressar quando sentiu que estava recuperada. “Eu quero aparecer e que as pessoas vejam que estou bem. Agora, aparecer com decadência, por uma doença… Aliás, a adição é uma doença muito grave. Não tem cura”, atirou.

De momento, Rosa Villa vive um “dia de cada vez”. “Esta pandemia tem-me feito estar no limite, mas muito focada, porque senão já tinha descambado”, confidenciou, acrescentando: “Eu tentei estar equilibrada. Estou há dez meses sem ganhar um tostão. Tive apoio da Gulbenkian, da minha Câmara Municipal (…), que nos deu um cartão para compras, da minha Sara, da minha tia e da minha mãe, que me têm ajudado.”

 

Rosa Villa sem papas na língua: “Sim, a cocaína existe neste meio”

 

Rosa Villa estreou-se no teatro de revista aos 20 anos e conta com 37 anos de carreira. Durante a conversa com Manuel Luís Goucha, explicou como começou o vício da cocaína. “Já tinha 30 anos, já tinha a minha filha e muito trabalho. Televisão, teatro (…). Temos que trabalhar muito”, começou por dizer. “Eu chegava a dormir três horas, eu acordava podre… E, aí, então começa [o consumo de cocaína]…”, contou.

Manuel Luís Goucha completou as afirmações da atriz dizendo que a cocaína faz parte do meio teatral. “Sim, a cocaína existe neste meio”, certificou Rosa, referindo que via os seus colegas consumirem drogas à sua volta.

A verdade é que a artista “estava muito cansada” e “tinha conhecido uma pessoa que vendia”. Mas “a primeira vez não percebes… Depois, com a continuação é que vais percebendo. Estás em baixo e com aquilo ficas logo… sem sentimentos, um vegetalzinho. Dá energia… Às tantas… energia a mais”, acrescentou. Rosa Villa confessou ainda a Manuel Luís Goucha que não consumia durante o trabalho, mas sempre entre trabalhos. Passado um tempo, começou a perceber que “dependia daquilo”, afirmou no programa “Goucha”.

Sem papas na língua e num tom de aviso, Rosa Villa aproveitou o tempo de antena para fazer um alerta aos portugueses: “É uma primavera, de início, e, muito rapidamente, é um inverno tenebroso (…) Comecei a ver que aquela pessoa não era eu… (…) eu não estava a saber lidar.”

 

Texto: Carolina Sousa; Fotos: Arquivo Impala e reprodução TVI

PUB