“A cultura é segura”: Jessica Athayde desabafa sobre o esquecimento das artes em Portugal

Jessica Athayde fez um longo desabafo nas redes sociais sobre o estado da cultura em Portugal devido à covid-19. “Mas será que os primeiros vão ser os últimos?”, é o mote para esta publicação.

06 Mar 2021 | 12:30
-A +A

Jessica Athayde fez, tal como tantos outros, uma publicação sobre a revolta que tem pela forma como a cultura tem sido tratada durante o último ano. “Mas será que os primeiros vão ser os últimos?”, lê-se.

“Desde o início da pandemia Covid-19 que a cultura é um dos setores mais afetados, registando quebras superiores a 80 por cento durante o último ano. Diz todo o setor e comprova o Parlamento Europeu no estudo ‘Cultural and creative sectors in post- COVID-19 Europe’ publicado no final do passado mês de fevereiro, que todo o mercado da cultura deverá ter sofrido uma quebra média de 87 por cento em todos os países da União Europeia”, continua.

“Os promotores, públicos e privados, cumpriram rigorosamente as regras da Direcção-Geral de Saúde”

Segundo a publicação de Jessica, “os recintos de espetáculo tiveram um comportamento exemplar, como foi, aliás, reconhecido pela presença da Sra. Ministra da Cultura, Dra. Graça Fonseca e do Sr. Primeiro-Ministro, Dr. António Costa em vários espetáculos ao longo dos últimos 12 meses e mesmo com enormes restrições nas lotações das salas, recintos de espectáculos e até no tipo de eventos permitidos, o que assistimos foi um verdadeiro exercício de resiliência”, continua.

“Os promotores, públicos e privados, cumpriram rigorosamente as regras da Direcção-Geral de Saúde e tornaram as salas e os recintos culturais seguros, sem que tivesse sido identificado qualquer surto que tenha surgido a partir de qualquer evento ou espectáculo”, realça no desabafo.

“A cultura é um bem essencial”

“A poucos dias de conhecermos o ‘calendário do desconfinamento’, que será apresentado pelo Governo no próximo dia 11 de Março, os mais de 130 mil trabalhadores do setor, só podem exigir que a cultura e todos recintos culturais, não sejam agora os últimos a retomar a sua atividade e remetidos para uma espera ainda mais penalizadora para um setor já tão duramente castigado”, garante a atriz.

Como forma de despedida, Jessica Athayde realçou ainda que “a cultura é um bem essencial”, “a cultura não pode ser adiada” e “a cultura é segura”.

Veja a publicação da atriz, em baixo.

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Reprodução Instagram
Leia também:
Chuva de críticas: Jessica Athayde viaja com o filho, é atacada e responde à letra

PUB
Top