A vida desconhecida de Miguel Albuquerque, o político de quem todos falam

A Madeira é o palco de um grande escândalo político que faz com que só se fale de Miguel Albuquerque.

30 Jan 2024 | 18:08
-A +A

Há largos dias que os portugueses são inundados com notícias relacionadas com Miguel Albuquerque. Ainda assim, os mais desatentos em relação à vida política nacional podem estar a perguntar-se: “Quem é Miguel Albuquerque?”. Pois bem, fique a conhecer melhor o político que tem o nome associado a um escândalo de corrupção na Madeira. E que acumula polémicas desde 2017.

Leia ainda: João Monteiro afastado de Cristina Ferreira

Cristina Ferreira e João Monteiro apaixonados em Lisboa

Miguel Albuquerque tem 62 anos, foi Presidente da Câmara Municipal do Funchal durante praticamente duas décadas e há nove que ocupou o lugar que era de Alberto João Jardim no Governo Regional. Advogado de formação foi, segundo a SIC, educado pelos avós. Aquilo que muitos desconhecem é que, salienta o canal, aprecia música, sabe tocar piano e até foi campeão de natação. Isto sem esquecer um passado que acaba por estar ligado às flores, algo tão especial na Madeira.

Miguel Albuquerque foi campeão de natação

O homem do momento iniciou-se na vida política com 29 anos, altura em que liderou a Juventude Social Democrata da Madeira. Já na altura era apontado por muitos como o natural sucessor de Alberto João Jardim, dizendo-se até que estava a ser preparado para assumir o cargo. Ainda assim, a relação entre ambos acabou por se deteriorar. Assumiu a presidência da Câmara Municipal do Funchal em 1994. Este momento acabou por ser uma espécie de rampa de lançamento para outros palcos mediáticos.

Zanga com Alberto João Jardim e polémicas desde 2017

Foi em 2012 que a relação com Alberto João Jardim acabou por chegar a um ponto de rutura. Ao ponto de, recorda a SIC, Alberto João Jardim ter tentado, ainda que sem sucesso, expulsar Albuquerque do partido. O presidente de câmara conseguiu chegar ao Governo regional apenas quando Alberto João Jardim deixou o cargo. A primeira grande polémica acontece em 2017. Foi nessa altura que, conta a SIC, vendeu a Quinta do Arco, na qual tinha um roseiral e um turismo rural, a uma empresa do Grupo Pestana. A transação acabou algo de denúncias e, nessa altura, já lhe apontavam o dedo como sendo alguém que cedia ao poder dos grandes grupos económicos que se destacam na ilha.

Acusado de corrupção

Foi também em plena pandemia que o nome de Miguel Albuquerque deu que falar. Isto porque decidiu aplicar na Madeira medidas que ainda estavam a ser decididas no Continente. Agora, o político é arguido em dois processos de corrupção numa operação que já levou à detenção de Pedro Calado, presidente da Câmara do Funchal.

Texto: Bruno Seruca
Fotos: Impala
PUB