Adeus, Carlos do Carmo: Famosos em choque com a morte do fadista

A morte de Carlos do Carmo, vítima de um aneurisma aos 81 anos, deixou um país de luto. A mensagem de Agir, afilhado do fadista, é uma das mais sentidas.

02 Jan 2021 | 12:31
-A +A

A morte de Carlos do Carmo, vítima de um aneurisma, deixou Portugal de luto e depressa as redes sociais foram inundadas de homenagens ao fadista. Dos rostos do pequeno ecrã ao setor artístico, foram várias as personalidades que quiseram lamentar a perda de uma das figuras mais incontornáveis do fado.

Na sua página de Instagram, Agir, afilhado de Carlos do Carmo, fez questão de recordar vários momentos ao lado do seu “querido padrinho”. “Portugal viajou um pouco mais pelo mundo nas asas da sua voz”, começa por escrever o filho de Paulo de Carvalho.

“E eu várias vezes viajei em férias de verão para o Algarve, em passagem de ano para o Brasil e, principalmente, para serões e jantares onde me pedia sempre, educadamente, que tirasse o chapéu à mesa. Fez de mim sócio do seu grande Belenenses no dia em que nasci. Confesso-lhe que desde os meus dezoito anos que estou em falta com as quotas pois não partilho do seu gosto e apreço pelo desporto-rei. Foi a família que se escolhe e fez, faz e fará sempre parte da minha vida”, escreveu ainda o cantor, encerrando a sua mensagem com um “Até sempre, Cácá. Para sempre Charmoso”.

A atriz Helena Isabel, a mãe de Agir, também quis homenagear uma das maiores vozes do fado. “Ficam as memórias de dias felizes! Até sempre, querido Carlos”, disse, numa mensagem partilhada nas redes sociais.

 

Meio musical de luto com a morte de Carlos do Carmo

 

Muitas outras personalidades do panorama artístico também se mostraram comovidos com a partida do fadista e enalteceram o seu talento. Foi o caso de Ana Bacalhau. “A sua Arte e o seu Canto serão sempre uma influência maior na minha vida e na vida de tantos. Obrigada, Carlos do Carmo. Que amanhecer tão triste”, lamentou a cantora.

Por sua vez, Pedro Abrunhosa recordou os momentos passado com o cantor. “Das nossas noites em átrios de hotel, camarins ou na poltrona de tua casa fica-me a sensação de um Fado inacabado onde a tua voz ressoa como deve a voz de um Deus verdadeiro. Agradeço as janelas que deixaste abertas para que outros como eu possam admirar como estão belas as ruas, como o Campo Grande refulge do teu eco. Saudades do teu Abraço. Beijo, Querido Carlos”.

Jorge Palma destacou o “rigor”, a “minúcia”, a “honestidade” e a “paixão” de Carlos do Carmo “pela música, pela vida e pelas pessoas”. “És um vencedor de vida. Obrigado”, acrescentou. Ana Moura lamentou, também ela, a morte do fadista. “Que notícia tão triste ao começarmos o ano. Agradeço eternamente tudo o que me deixou, a mim e a todos nós”, escreveu. “Fado é Amor. E é tão bonito o nosso amor. Será para sempre. Obrigada, querido Carlos”, disse Raquel Tavares. “Obrigado, amigo!”, afirmou Camané.

 

“O país inteiro morava na sua voz”, destaca David Fonseca

 

Aurea dedicou uma publicação na sua página de Instagram com uma imagem a preto e branco do cantor e com a seguinte legenda: “Obrigada Carlos do Carmo”. David Fonseca fez o mesmo. “O país inteiro morava na sua voz, um músico extraordinário, um gentleman. Um grande abraço à sua família e amigos”, afirmou o ex-vocalista da banda Silence 4.

Ágata também recorreu às redes sociais para deixar uma sentida homenagem ao fadista. “”Todos nós lamentamos o adeus de Carlos do Carmo. Ficamos com a sua voz eternamente na nossa memória. Paz à sua alma”, escreveu. Já Carolina Deslandes despede-se do cantor com um “até sempre”. “Para cantar um poema é preciso entender as suas palavras. Para eterniza-lo é preciso entender os seus silêncios”, disse ainda.

 

Herman José sobre Carlos do Carmo: “O Rei morreu, viva o Rei”

 

Parco em palavras, Manuel Luís Goucha assinalou o desaparecimento do fadista com uma publicação nas redes sociais com a seguinte legenda: “Carlos do Carmo. O Charmoso. Senhor do Fado e de Lisboa. 1939-2021”. “Querido Carlos. Não sei que dizer, tristeza profunda”, escreveu Rita Ferro Rodrigues.

Tânia Ribas de Oliveira homenageou o cantor com um tema do seu próprio repertório,  ao publicar parte da letra da música “No Teu Poema”. João Baião seguiu o mesmo exemplo ao partilhar o mesmo tema e deixou “um grande aplauso” e “um abraço a toda a família” . A apresentadora da RTP Sónia Araújo lamentou a “perda tão grande”. “Não começa bem 2021”, disse ainda.

Jorge Gabriel apelida Carlos do Carmo como “a voz masculina de Portugal”. “Quando ainda procurava definir o meu gosto musical, cantava de cor as músicas que levou sozinho ao Festival da Canção em 1976. Mesmo sem ter ganho, a ‘Estrela da Tarde’ será uma das canções da minha vida… Obrigado senhor Charmoso…”, afirmou na sua página de Instagram.

“Recuso-me a evocar o Carlos com tristeza. O meu desgosto é largamente mitigado pela memória de um amigo luminoso, presente, o mesmo que sempre me abraçou, apoiou e defendeu. Grato, culto, lutador, inquieto, encantador e sobretudo maior do que a própria vida. O Rei morreu, viva o Rei”, disse Herman José.

 

Nuno Santos e Daniel Oliveira também já reagiram

 

O Diretor-Geral da TVI, Nuno Santos, recordou Carlos do Carmo como um artista de “voz timbrada, palavras ditas na cadência certa, repertório de grandes escritores de canções e relevantes serviços prestados ao fado colocam-no numa galeria de imorais onde já estavam Amália, Marceneiro ou Hermínia”. O responsável da estação de Queluz de Baixo conclui a sua mensagem com os seus “sentimentos à família, com um beijo especial à Cila e um abraço ao Gil, a quem devo agora não uma, mas duas chamadas”.

Daniel Oliveira, o Diretor-Geral de Entretenimento da Impresa, que detém a SIC, partilhou na sua página de Instagram uma imagem em que surge ao lado do fadista no programa “Alta Definição”. O responsável da estação de Paço de Arcos escolheu um excerto da letra do tema “Fado da Saudade” para evocar o trágico desaparecimento do cantor.

No mundo da representação, Diogo Infante foi um dos primeiros a reagirem à morte do fadista. “Carlos do Carmo deixou-nos hoje, assim, sem aviso e a abrir o novo ano. Fica a sua música, a sua voz e um contributo inestimável para o reconhecimento do Fado como património imaterial da Humanidade… a toda a sua família, um sentido abraço”, escreveu nas redes sociais.

Jessica Athayde lamentou também a perda do cantor. “Começamos o ano mais pobres. Descansa, querido Carlos”, afirmou. Sílvia Rizzo destaca as “grandes conversas” e os “momentos incríveis” ao lado do fadista. “Querido Carlos, tantas recordações, que privilégio! As grandes conversas, tantas gargalhadas, tantos momentos incríveis partilhados em família. Fica tudo isso e uma grande saudade! Abraço forte a toda a família.”

 

Revelados detalhes sobre as cerimónias fúnebres

 

As datas das cerimónias fúnebres de Carlos do Carmo já são conhecidas. O velório do fadista, que morreu esta sexta-feira, 1 de dezembro, aos 81 anos, tem início marcado para as 9 horas da próxima segunda-feira, na Basílica da Estrela, em Lisboa. Para as 14 horas do mesmo dia, vai realizar-se uma missa de corpo presente.

O cemitério da capital em que o corpo do cantor será sepultado ainda não é conhecido.

O último adeus a Carlos do Carmo acontecerá, portanto, no mesmo dia para o qual o Governo decretou Luto Nacional. “É com extrema consternação e profundo pesar que o Governo tomou conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo e decidiu decretar um Dia de Luto Nacional a concretizar-se na próxima segunda-feira, 4 de janeiro de 2021″, informou o executivo de António Costa.

 

Texto: Alexandre Oliveira Vaz e Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala

PUB
Top