Agir acusa canais generalistas de explorarem “as pessoas com vidas miseráveis”

Agir manifestou na sua página de Twitter, o descontentamento face aos programas da tarde da televisão portuguesa. O artista revoltou-se com os temas abordados.

17 Mar 2021 | 8:00
-A +A

Agir recorreu às redes sociais na passada quinta-feira, 11 de março, para manifestar o seu desagrado em relação aos conteúdos abordados nos programas da tarde da televisão portuguesa. O intérprete do tema “Minha Flor”, questiona se a escolha dos temas para serem retratados nos vespertinos dos três canais, SIC, RTP1 e TVI, passa por “explorar as pessoas com vidas miseráveis” para conseguir alcançar a liderança das audiências.

“Como é que os programas da tarde fazem para decidir a sua linha editorial? Fazem mesmo uma reunião e decidem: a partir de agora vamos começar a explorar pessoas com vidas miseráveis que dá audiências. Será? Intriga-me”, escreveu o filho da atriz Helena Isabel e do cantor Paulo de Carvalho, na sua página de Twitter.

Nos três principais canais generalistas, recorde-se, vigoram três formatos. São eles: “A Nossa Tarde”, na RTP1, conduzido pela apresentadora Tânia Ribas de Oliveira. Na SIC, Júlia Pinheiro toma conta das tardes com um programa em nome próprio, “Júlia”. A TVI estreou em janeiro deste ano o formato “Goucha”, apresentado por Manuel Luís Goucha, que transitou das manhãs para as tardes, num programa assente num registo de conversas mais intimistas.

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos: Redes Sociais
Leia também:
Carolina Deslandes assume queda antiga por Agir: “Já houve vontade dos dois lados”

PUB
Top