Álcool e violência: Vida de concorrente do “Big Brother” emociona o país

Maria da Conceição partilhou com o país a sua história de vida, na gala do “Big Brother” deste domingo, 19 de setembro. Concorrente é marcada por um passado violento

20 Set 2021 | 14:45
-A +A

Maria da Conceição emocionou o País na última gala do “Big Brother”, ao contar a história trágica da sua vida. A concorrente de Valongo, de 50 anos, assumiu na Curva da Vida que a sua infância e adolescência foi marcada por episódios de violência doméstica às mãos de um pai que era viciado em álcool.

“O meu pai era alcoólico, batia na minha mãe (…) Eu era feliz na escola, quando estava longe daquele tormento”, começa por desabafar a residente da casa do Big Brother, adiantando que “o ambiente em casa era péssimo”, mas se o progenitor lhe deu, a ela, “algum dia uma sapatada, foi muito”. Conceição, a mais velha dos cinco irmãos, diz que a mãe sempre foi “muito submissa”, algo que a deixava revoltada e a levou a dizer-lhe um dia que a sua verdadeira mãe era a avó. “Acho que isso a magoou bastante”.

Aos 15 anos, Maria da Conceição viu, finalmente, a mãe tomar uma atitude, ao levá-la a ela e aos irmãos para Valogo. O destino foi a casa da avó materna, mas a atual operária de uma fábrica de chamuças refere que não se sentiu desejada nesse novo lar. “Quando nos viu… senti-me tão mal. Parecia que vínhamos de outro mundo. Mais uma vez descarreguei na minha mãe”.

Aos 16 anos, conheceu o seu companheiro de vida: António. “Ainda me dava muito mal com a minha mãe. É o meu homem, a minha pessoa, é tudo para mim. Acho que se não fosse aquele homem já não estava aqui”, reconhece, ao mesmo tempo que revela que a família dele era contra o namoro. “Queria casar para sair de casa”. E assim  fez. Conceição contraiu matrimónio em 1989 e já estava grávida de quatro meses do filho Tiago, hoje com 31 anos.

 

Maria da Conceição do “Big Brother”: “Tinha uma mágoa muito grande”

“Os primeiros anos foram muito maus, porque eu era o diabo”, diz, atribuindo o seu comportamento ao passado de violência que trazia na bagagem. “Eu projetava tudo no António, ele é que pagava tudo”. Conceição frisa que nunca disse ao marido que o amava, pois tem dificuldades em dizer a palavra “amo-te!”.

O pai da concorrente do reality show da TVI morreu em abril de 1989. “Suicidou-se. A minha mãe ficou muito mal, cheguei a dizer-lhe que ela gostava mais do meu pai do que de nós [irmãos]. Eu não entendei como podia alguém andar de luto por uma pessoa que lhe fez tão mal. Eu tinha uma mágoa muito grande”.

Maria da Conceição nunca tinha vindo a Lisboa até entrar no Big Brother. Atualmente, vive com a mãe, o marido, um dos cinco irmãos e alguns cães que trata como filhos. Sublinha que a sua família é a sua “tribo”, pois são muito unidos e protetores. O marido diz que ela é louca, mas uma “louca saudável“.​

 

Texto: Carla S. Rodrigues: Fotos: Redes socais e reprodução TVI 

PUB