Amiga de Liliana desmente factos sobre a morte do pai

O relatório da autópsia não apresentou nenhuma causa para o óbito, até porque, quando o corpo do progenitor da candidata foi encontrado, o mesmo já se encontrava em decomposição.

23 Nov 2019 | 21:30
-A +A

Foi na última cerimónia de compromisso, transmitida a 10 de novembro, que Liliana Oliveira avançou com os motivos para ser uma pessoa mais fria. «Eu reconheço que a Liliana que está lá atrás é uma mulher complicada e difícil. Quem me conhece dificilmente me vê exprimir ou chorar, porque não me permito. A Liliana é formatada para não demonstrar sentimentos porque a Liliana vem de uma família desestruturada, com um pai com alguns vícios dos piores que possam existir, mas que é um pai… O meu pai esteve desaparecido uma semana e foi assassinado. Fui eu que o encontrei no meio da rua e fui eu, menor de idade e criança, que tive de o ir reconhecer ao Instituto de Medicina Legal. Se eu sou fria e tenho esta armadura, eu tenho os meus motivos para ser assim», disse perante os especialistas e os restantes concorrentes de Casados à Primeira Vista.

A TV 7 Dias voltou a entrar em contacto com a prima Maria João Andrade, que numa primeira entrevista nos revelou que Aníbal Oliveira, falecido a 15 de novembro de 2009, teria morrido de «ataque cardíaco. Acho que estava na rua e caiu». Contudo, agora Maria João dá o dito por não dito e, questionada pela nossa/sua revista, revela que «o pai da Liliana faleceu em circunstâncias muito particulares e com um cenário muito mau, consequências do vício que teve durante anos».

No entanto, em declarações exclusivas à TV 7 Dias, uma amiga da mulher de Pedro Pé-Curto esclarece que «até hoje ninguém sabe do que foi. Isso é o que ela tem em ideia, porque as coisas nunca foram esclarecidas. A autópsia foi inconclusiva». Esta amiga, que prefere manter o anonimato, acrescentou que a Liliana ficou sempre com a convicção de que «o pai tinha sido morto por causa da droga. Talvez dívidas a algum traficante. A Polícia da altura não quis saber. Quando a Liliana encontrou o corpo do pai, no relatório da Polícia as coisas não eram consistentes com aquilo que ela viu na altura. Daí ela sempre ter ficado na ideia que tinha sido manipulado. Mesmo os toxicodependentes que se davam com o pai dela sempre disseram que ele tinha sido morto», embora não existissem certezas sobre as causas da morte, até porque, explica a nossa fonte, o corpo «já estava em decomposição».

Texto: Carla Ventura; Fotos: Divulgação e Reprodução SIC

PUB
Top