Andreia Machado coloca-se em risco de vida

Grávida de 30 semanas, a ex-concorrente de “Love on Top”, conduz sem cinto de segurança.

27 Ago 2017 | 12:34
-A +A

Andreia Machado voltou a surpreender num vídeo publicado nas redes sociais. A jovem, grávida de 30 semanas e com uma gravidez de risco, surge a conduzir sem o cinto de segurança colocado. 

A condução sem cinto de segurança representa uma contra-ordenação grave, punida com coima de 120 euros a 600 euros e que pode ainda levar à inibição de conduzir por um período de um mês a um ano.

No carro estavam dois amigos da jovem, também eles sem cinto de segurança

Esta tendência para a condução irresponsável não é novidade uma vez que Andreia também é adepta do excesso de velocidade.

Andreia e o excesso de velocidade

Andreia Machado publicou um vídeo esta quarta-feira, dia 31, a filmar-se e a conduzir ao mesmo tempo. Já não é a primeira cara conhecida dos portugueses que o faz, mas desta vez o risco é duplo, pois a ex-concorrente da “Casa Dos Segredos”, TVI, está à espera de um bebé!

A stripper está assim a cometer uma infração grave que implica o pagamento de uma multa que pode ir dos 120 aos 600 euros. “Esta infração é considerada grave, ou seja, tem uma sanção acessória de inibição de conduzir associada de 1 a 12 meses e o condutor(a) perde 2 dois pontos. Estes factos são comunicados ao infrator através de notificação da entidade competente para o inquérito que neste caso é do âmbito da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária”, esclarece fonte policial ao nosso site.

O uso do telemóvel é estritamente proibido durante a condução, seja para filmar, fotografar, enviar sms ou fazer chamadas. “Relativamente ao fato de a condutora estar a filmar não é relevante porque, a partir do momento que existe a utilização ou/e o manuseamento de aparelhos radiotelefónicos que neste caso seria o telemóvel, a infração existe, ou seja, não tem qualquer agravamento o fato de estar a filmar”, esclarece a mesma fonte.

De acordo com um estudo da Organização Mundial de Saúde, divulgado em 2015, os portugueses são os europeus que mais usam o telemóvel durante a condução, com 59% dos automobilistas a fazê-lo, contra 21% dos ingleses. Nos EUA, o problema tem proporções ainda mais graves –  69%.

 

Veja também:

PUB
Top