Arrasador: Quintino Aires acusa “triste” administração da TVI de “se esconder como ratos”

Quintino Aires usou as redes sociais para comentar o afastamento do “Big Brother” e reafirmar que mantém tudo o que disse no “Extra”. Pelo meio, aponta seriamente o dedo à administração do canal.

16 Set 2021 | 18:00
-A +A

Quintino Aires está na ordem do dia depois de a TVI o ter afastado dos “Extras” do “Big Brother” por comentários considerados homofóbicos. Depois de uma primeira reação, o psicólogo volta à carga e agora, nas redes sociais, mostra-se implacável e tece duras críticas à administração do canal.

Depois de reafirmar que mantém tudo o que disse, Quintino Aires lembra que “contribuiu” para “a construção” da TVI durante 24 anos, recordando os tempos em que a estação “era apenas um barracão antigo armazém industrial”. Logo depois, uma primeira acusação: “Relativamente ao meu afastamento da TVI, (…) é evidente que nada teve a ver com esta terça-feira.”

“Quando, na primavera do ano passado, eu saí, tomei a decisão porque não me deixavam ir a antena. Tenho para mim, mas apenas uma suposição, que as minhas duras críticas ao senhor ministro Eduardo Cabrita, num momento em que o Governo dá três milhões à TVI, possa estar relacionado. Mas isso sou apenas eu a pensar”, alega o psicólogo.

Cristina Ferreira acabou por regressar à estação de Queluz de Baixo, desta vez como Diretora de Entretenimento e Ficção e acionista do grupo que detém o canal, a Media Capital, e Quintino Aires “quis dar o benefício da dúvida”. “Mas resolvi dizer-lhe, em fevereiro, que me vinha embora. Estava tudo igual”, revela agora o ex-colaborador da TVI.

O psicólogo voltou à antena do canal, em agosto, quando o “chamaram para ajudar nas audiências” do reality show “O Amor Acontece”. Esta é, pelo menos, a sua convicção. “Voltei e fui ficando. E, ontem, os twitteiros foram usados para a administração mostrar à Cristina quem manda na TVI. Triste administração, que se esconde como ratos”, acusa Quintino Aires.

A extensa mensagem do psicólogo termina com uma garantia da sua parte. “Sou e continuarei a ser o homem livre que os meus pais e avós fizeram. E, por isso, aqui partilho uma cópia da imagem que um dia amigos catalãs me ofereceram. ‘Vale mais morrer de pé do que viver ajoelhado’.”

 

Leia a mensagem de Quintino Aires na íntegra:

 

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: reprodução redes sociais

PUB