Arrebatador: Estreia de “Big Brother Famosos” destrói concorrência e entra na história

A gala de estreia do “Big Brother Famosos” foi líder destacada de audiências, alcançando números que não eram obtidos desde 2016. Como consequência, a TVI foi o canal mais visto deste domingo.

03 Jan 2022 | 14:44
-A +A

O “Big Brother Famosos” chegou, viu e venceu. Sem margem para dúvidas, a gala de estreia do reality show foi líder destacada de audiências do primeiro ao último minuto, atirando para trás de forma inequívoca o arranque da segunda edição de “Hell’s Kitchen” e mais uma gala de “The Voice Portugal”.

Apresentado por Cristina Ferreira, que assim se estreou na condução de um formato deste género televisivo, o “Big Brother Famosos” foi o programa mais visto do dia, com números que fazem deste o programa de entretenimento com uma maior audiência desde, pelo menos, 2016. Em média, 1,8 milhões de telespectadores estiveram sintonizados na TVI a acompanhar a entrada de figuras públicas como Bruno de Carvalho, Kasha, Leandro e Nuno Homem de Sá na casa mais vigiada do País.

O primeiro segmento fidelizou 1 milhão e 655 mil e 800 telespectadores, tendo registado 29,8% de share. O segundo bloco, denominado de “O Infiltrado”, foi ainda mais arrebatador, com 1 milhão e 676 mil e 800 telespectadores e 32% de quota de mercado. A noite prosseguiu com a eleição de Bruno de Carvalho como o presidente da primeira semana da casa mais vigiada do País e a audiência continuou sem descer. Por último, as “Nomeações” mantiveram de forma indiscutível a liderança do lado da TVI: 1 milhão e 185 mil e 900 telespectadores e 39,3% de share.

Numa nota enviada às redações, a estação de Queluz de Baixo sublinha que a estreia do “Big Brother Famosos” “liderou destacadamente do primeiro ao último minuto”. “A soma das audiências da RTP (5,4%) mais a SIC (9,6%) ficaram aquém dos resultados obtidos pela TVI (16,1%)”, vinca a TVI, que “registou excelentes resultados em quase todos os targets” e, “praticamente em todos os targets”, “teve mais de 60% de audiência do que a SIC”.

Na noite deste domingo, vale a pena salientar, o canal de Paço de Arcos estreou a segunda edição do programa “Hell’s Kitchen”, com Ljubomir Stanisic como anfitrião. A diferença para o “Big Brother Famosos” foi considerável, com a primeira parte a ter sido acompanhada por 1 milhão e 126 mil e 100 telespectadores (20,1% de quota de mercado) e a segunda por 1 milhão e 113 mil e 900 telespectadores (20,5% de share). O melhor resultado da noite para a SIC aconteceu com o segmento “A Decisão”: 1 milhão e 210 mil e 400 telespectadores e 23,1% de quota de mercado.

Para enfrentar as primeiras nomeações do “Big Brother Famosos”, a estação dirigida por Daniel Oliveira apostou numa nova emissão de “A Máscara”, mas também este trunfo não foi eficaz. Em média, o concurso apresentado por João Manzarra esteve sempre abaixo da fasquia de um milhão de telespectadores. O primeiro segmento obteve uma audiência de 841 mil e 600 telespectadores (18,5% de share), o segundo 749 mil e 800 telespectadores (18% de quota de mercado) e o terceiro 618 mil e 900 telespectadores (19,9% de share).

Na RTP1, a gala de “The Voice Portugal”, que foi somente apresentada por Catarina Furtado (Vasco Palmeirim está em isolamento na sequência de um contacto de risco com um caso positivo de COVID-19), não foi além dos 551 mil e 700 telespectadores, tendo obtido 11,7% de quota de mercado.

Nas contas gerais do dia, a TVI e a SIC registaram o mesmo share (19,4%), com uma ligeira vantagem para os lados de Queluz de Baixo. A RTP1 obteve 9,4% de quota de mercado e a RTP2 0,9%.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB