Luta contra solidão dos idosos arranca hoje na RTP1. Veja já as primeiras imagens

Catarina Furtado promove o contacto entre mais novos e mais velhos naquele que a própria apresentadora apelida de «projeto revolucionário». Chama-se As Idades da Inocência e arranca esta noite.

23 Dez 2019 | 18:20
-A +A

A RTP1 estreia, na noite desta segunda-feira, 23 de dezembro, o programa As Idades da Inocência, que a sua apresentadora, Catarina Furtado, considera ser um «projeto revolucionário».

Nesta iniciativa pioneira, nove idosos entre 74 e 90 anos e dez crianças de quatro e cinco anos convivem diariamente durante cinco semanas. O objetivo é claro: «diminuir o isolamento e a solidão dos mais velhos»«Portugal é um país envelhecido, tem muita gente muito isolada, muito vulnerável, muito sozinha, muito deprimida. Este projeto, para mim, foi muito mais do que ser uma apresentadora de televisão», confessa a estrela da RTP.

De resto, a comunicadora não tem dúvidas em afirmar que este formato foi «um presente» dado pela Direção de Programas da televisão pública, encabeçada por José Fragoso. E considera que este é um projeto «que cai como uma luva no serviço público da RTP, porque aquilo que se pretende – e que aconteceu noutros países – é que ele salte do ecrã venha para a sociedade e que tenha como missão inspirar politicamente para que Portugal possa, depois, acionar estas medidas.»

 

«Os idosos começaram a querer viver outra vez»

 

As gravações de As Idades da Inocência já terminaram. No final, o resultado deixou Catarina Furtado de sorriso rasgado. «Os técnicos de saúde avaliaram, quer cognitivamente quer fisicamente, os idosos antes de as atividades acontecerem e, depois, avaliaram os idosos no final das cinco semanas. Aquilo que se verificou é que o impacto na saúde foi grande e os níveis de depressão dos idosos diminuíram. Foi muito positivo. Os idosos começaram a querer viver outra vez. Muitos deles estavam em situação muito crítica», recorda.

Também as crianças que participaram neste programa sofreram transformações. «Os pais disseram ela estavam muito diferentes, calmas, mais curiosas em relação à sabedoria dos mais velhos, mais tolerantes. Portanto, foi muito benéfico para ambas as partes.»

De resto, isso mesmo Catarina Furtado foi sentindo no decorrer das gravações de As Idades da Inocência. «Um dos idosos partiu uma perna e teve de se ausentar para o hospital e a criança disse que aquele tinha sido o dia mais infeliz da sua vida», partilha a apresentadora.

E remata com a revelação de um «segredo»: «Quando começámos a produzir, a unidade de saúde aceitou fazer esta iniciativa pioneira mas sem qualquer compromisso além das cinco semanas. No final, os velhinhos, os meus avós adotivos, estavam tão felizes e já com alguns início de ansiedade por aquilo ir acabar. E a unidade de saúde decidiu continuar o projeto.»

O propósito foi cumprido. E Catarina espera que outras instituições sigam este mesmo caminho.

 

Veja na galeria as primeiras imagens de As Idades da Inocência!

 

«Grandes momentos de televisão nos quais a ternura está permanentemente presente» estão, segundo o Diretor de Programas da RTP, garantidos. O arranque é dado esta noite. As restantes quatro emissões são transmitidas nas noites de 26, 27 e 30 de dezembro e 1 de janeiro.

 

VEJA TAMBÉM:
Nome de Catarina Furtado envolvido em esquema de burla. Apresentadora já reagiu
Humorista arrasa ex-Gato Fedorento e Catarina Furtado entra na discussão!
Catarina Furtado alarga família: «Achámos que seria a altura indicada»

 

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: Marco Fonseca e RTP

PUB
Top