“Às vezes, sinto que merecia mais”: Hélder Reis manda dica à RTP… e outra a Goucha

Hélder Reis admite que, “às vezes”, sente que “merecia mais” desafios profissionais na RTP, mas assume-se feliz onde está. Ainda assim, gostaria de tentar um “casamento” televisivo com Goucha.

10 Jul 2021 | 17:11
-A +A

Hélder Reis, de 46 anos, é um homem feliz na RTP1. Repórter do vespertino “A Nossa Tarde”, num registo mais intimista do que aquele que assumiu, durante vários anos, no matutino “Praça da Alegria”, o apresentador não esconde, ainda assim, que gostaria de ser mais desafiado pela estação pública.

Em entrevista a uma publicação semanal, Hélder Reis começa por dizer que “não” sonha com um programa da sua autoria. “Desde cedo, percebi que fazer televisão e ter os programas que tenho tido não depende de mim. As coisas que não dependem de nós não vale a pena ambicionar ou viver nessa frustração. Desliguei-me disso há muito. Faço a televisão que me pedem para fazer. Sinto que me conhecem e deixo-me levar”, defende.

No entanto, admite, “às vezes, sinto que merecia mais”. “Ou diferente. Nem sempre o mais é bom. Às vezes, gostava de ter a experiência de registos diferentes, de me sentir desafiado. De ter um concurso, um passatempo radical, algo que me fizesse sentir mais fora da minha área de conforto”, assume Hélder Reis.

 

Hélder Reis pensa em “casamento” televisivo com Goucha

 

Na mesma conversa com a TV Guia, o comunicador pisca ainda o olho a Manuel Luís Goucha, de quem é grande amigo. Assumindo que tem pela estrela da TVI uma “enorme” inspiração, o rosto da RTP desdobra-se em elogios àquele que considera como um “pai”.

“O Manel tem o mundo dele fora da televisão que, para mim, é tão ou mais interessante e que tenho a sorte de conhecer muito bem. Mas já a personagem televisiva do Manel é incrível: a forma como ele trabalha, como se entrega…”, analisa Hélder Reis, opinando que o programa “Goucha”, que o amigo conduz, atualmente, nas tardes da estação de Queluz de Baixo, “o está a humanizar ainda mais e a dar uma visão do mundo completamente diferente, com mais tempo.”

Feliz por conhecer “o outro lado” de Manuel Luís Goucha – um homem “calmo, que me liga, descontraído” – e assumindo o “privilégio que é os dois falarem sobre “tudo”, o repórter de “A Nossa Tarde” revela que “gostava muito” de trabalhar com ele.

“Estou a aproximar-me muito dele. Temos a mesma linha televisiva, a mesma forma de trabalhar, perguntar, de querer, de objetivos. Seria um casamento muito interessante. Improvável, mas interessante”, afirma, justificando: “Estamos em canais diferentes, em idades muito distintas… As coisas podem acontecer, não é impossível. Gostamos muito os dois de trabalhar.”

Apesar disso, Hélder Reis faz questão de referir que a RTP “continua, sem dúvida”, a ser a sua casa. “Onde me sinto feliz, onde tenho pessoas de quem gosto muito. A estação tem um ADN com o qual me identifico. É a casa onde agora me sinto feliz”, diz.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: reprodução redes sociais

PUB
Top