Atriz de “Amar Demais” surpreende ao anunciar separação: “Estou a fazer o meu luto”

A atriz Sofia Nicholson, a Filomena da novela da TVI “Amar Demais”, assumiu ter-se separado “há muito pouco tempo” de Afonso Azevedo Neves, com quem tinha uma relação há quatro anos.

17 Fev 2021 | 18:50
-A +A

Sofia Nicholson, de 51 anos, está separada de Afonso Azevedo Neves. Foi a própria atriz, que atualmente pode ser vista na novela “Amar Demais”, da TVI, que anunciou, em entrevista a uma publicação semanal, o término da relação ao fim de quatro anos de vida em comum.

Confrontada com a “relação segura” que estaria a viver com Afonso Azevedo Neves, juntamente com os três filhos deste e o seu próprio filho, Hugo Nicholson, também ele ator, Sofia Nicholson respondeu com um silêncio. Depois, surpreendeu ao contar toda a verdade: a relação chegara ao fim recentemente.

“O Afonso e eu resolvemos, de forma amadurecida e consensual, ter futuros distintos. Desde há muito pouco tempo (e apenas acedo a falar sobre isto para que o meu silêncio sobre o assunto não leve a interpretações especulativas) que estamos separados e, portanto, estou neste momento a fazer o meu luto – porque o luto faz-se por todas as formas de perda. É tudo o que posso dizer nesta fase”, afirmou.

A atriz de “Amar Demais” continuou explicando o que, para ela, seria a relação ideal entre um ex-casal. “Idealmente, quando duas pessoas se unem, somam-se. E depois continuam nesse processo de matemática emocional, com naturais somas e diminuições”, disse, à Caras. E acrescentou: “Se, em determinada altura dessa relação, o saldo não satisfizer as contas da felicidade de um ou de ambos, talvez o melhor seja continuarem a somarem-se de outras formas. E ficarem bem uma com a outra, e consigo próprias, e serem companheiras na vida uma da outra em vez de serem companheiras de vida, como até ali.”

 

Sofia Nicholson já sofreu “abusos físicos e psicológicos”

 

Na mesma entrevista, Sofia Nicholson revelou que recorre à psicoterapia “há muitos anos”, além de fazer “terapia quântica, meditação e ioga”, depois de um passado em que pensou ter encontrado uma solução em antidepressivos. “Já passei por muita coisa, podia ser uma pessoa amarga e ressentida, mas sou uma mulher feliz, e sei que para sentir o bom tenho que sentir o mau. Durante muitos anos disfarcei as minhas emoções. (…) Durante muito tempo achei que era uma pessoa depressiva – sei agora que não sou – e refugiei-me em antidepressivos. Até ao dia em que quis viver as minhas tristezas da mesma forma que vivo as alegrias”, contou.

Atualmente, a intérprete de Filomena em “Amar Demais” diz-se “bem resolvida”. “Já passei por coisas suficientes para olhar para mim hoje e afirmar que sou uma grande mulher. Dou tudo de mim, sempre, inclusive nas relações, sejam de amor ou de amizade, mas também sei dizer não. Aprendi a fazê-lo. Sofri abusos de todos os géneros e feitios e foi em terapia que aprendi a dizer que não“, revelou.

“Abusos físicos e psicológicos. É um assunto arrumado, que fez a mulher que sou hoje. Não me faz sentido falar do passado quando estamos a falar de esperança, aceitação e superação”, rematou.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top