Atriz da TVI correu risco de vida após sofrer «ameças»!

Em entrevista a Fátima Lopes, Lucélia Santos recordou a morte de um amigo, episódio que espoletou o seu desaparecimento dos holofotes. «Tive de sair dos media porque corri risco de vida», revelou.

13 Out 2019 | 8:40
-A +A

Lucélia Santos foi a convidada de Fátima Lopes na emissão deste sábado, 12 de outubro, do programa Conta-me Como És. A atriz, de 62 anos, integra o elenco da novela Na Corda Bamba, da TVI, depois de ter dado vida a Isaura numa das maiores produções televisivas da Globo, em 1976, a novela Escrava Isaura.

Atualmente a viver e a trabalhar em Portugal, Lucélia Santos abriu o coração e acabou por revelar momentos muito marcantes da sua vida, entre eles ameaças de morte. Além de atriz, Lucélia é também uma grande ativista contra as alterações climáticas, algo que nunca escondeu.

 

«Corri risco de vida, sofri ameaças»

 

Ao lado de Chico Mendes, um conhecido ativista ambiental, Lucélia Santos lutou durante vários anos contra a destruição da Amazónia. O seu colega e amigo acabou por ser assassinado devido às suas ações e, revoltada, Lucélia tornou público o sucedido.

«Fiquei de luto, comecei a divulgar o que aconteceu e a dizer que o assassino tinha de ser julgado e condenado. Essa altura tornou-se num inferno para mim. Tive de sair dos media porque corri risco de vida […]. Sofri ameaças. Então decidi que era a hora para sair de cena, fiquei na retaguarda. Tinha um filho pequeno, pensei nele e resolvi sair dos holofotes.»

 

A saída de São Paulo

 

Nascida no dia 20 de maio de 1957, em São Paulo, Lucélia decidiu deixar a sua terra natal e partir para a cidade do Rio de Janeiro quando tinha apenas 17 anos. «Quando resolvi mudar-me, para fazer teatro, os meus pais assustaram-se, principalmente porque o teatro era algo novo lá… Vivíamos em plena ditadura militar, havia muita repressão, eles tinham medo por mim», recordou.

Já no Rio de Janeiro, Lucélia conheceu Betina Viany. Juntas fizeram um musical e a amiga acolheu-a na sua casa, onde morava com a mãe. «Foi a minha família, ela e a mãe, que já faleceu», confessou.

Foi na casa de Betina que Lucélia recebeu o convite da Globo para fazer a novela Escrava Isaura, que a «atirou» para a ribalta e que, rapidamente, se tornou num sucesso em todo o mundo. «Quando soube, rimos as duas sem parar, até ficarmos sem ar, de felicidade», contou Betina, que foi uma das «surpresas» do programa de Fátima Lopes.

 

«Esqueceram-se da Lucélia amarrada a uma árvore»

 

Edwin Luisi, que contracenou com Lucélia na Escrava Isaura, voltou a cruzar-se com ela, agora em Portugal, na novela Na Corda Bamba. Tal como a amiga, o ator, de 72 anos, mudou-se para terras lusas e, desde então, têm sido inseparáveis: «Moramos juntos, assinamos contratos juntos, somos sócios da mesma empresa, temos uma amizade linda… Ele é um ator muito especial, está no melhor momento da vida dele, está bonito, feliz, vibrante. Ele é um sonho», referiu a atriz.

No decorrer da entrevista de Fátima Lopes, também Edwin Luisi enviou uma mensagem muito especial para Lucélia e acabou por revelar um momento muito caricato que aconteceu durante as gravações da Escrava Isaura. «Estávamos a gravar uma cena, tu eras a Escrava Isaura e amarraram-te a uma árvore. Estava imenso calor nesse dia… E pronto, esqueceram-se da Lucélia amarrada à árvore e ela desmaiou», riu-se.

No final da entrevista, Fátima Lopes e Lucélia Santos falaram sobre a família da atriz e a brasileira emocionou-se quando falou do filho, Pedro, e da neta, Carolina, de três anos. «Sinto que não fui a melhor mãe. Fui mãe aos 25 anos e trabalhava 20 horas. O meu filho cresceu nos teatros, nos sets, nos camarins, eu amamentava-o nos palcos… E o pai [John Neschling] também o levava muito para a ópera, quando estava a trabalhar. Eu olho para a Carolina e sinto-me em dívida com o meu filho. Durante um aniversário dele, discursei e pedi-lhe desculpa pela infância que lhe dei e ele respondeu ‘mas tu achas que eu queria ter uma vida normal, com horários? Claro que não! Eu fui feliz!’ Aí fiquei mais aliviada. Mas penso que podia ter sido uma mãe melhor, então tento ser uma avó melhor», revelou, com as lágrimas nos olhos.

A atriz terminou revelando que gostava muito que os pais pudessem ver a entrevista, mas que sabe que estão orgulhosos dela e sempre presentes na sua vida. «Até porque sou budista e faço uma prática religiosa onde os convoco. E sinto-os.»

 

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais | Fotografias: reprodução redes sociais

PUB
Top