Bernardina Brito SOFRE de DOENÇA CRÓNICA: «Senti-me incapaz e sozinha»

Bernardina Brito foi diagnosticada com fibromialgia. A ex-concorrente da Casa dos Segredos partilhou com os seguidores alguns dos efeitos da doença.

23 Mar 2019 | 10:45
-A +A

Bernardina Brito revelou, esta sexta-feira, 22 de março, sofrer de uma doença crónica: fibromialgia. A doença, que causa fortes dores neuromusculares, é algo que chega a deixar a ex-concorrente da Casa dos Segredos incapacitada.

«E passei a ter mais um dia especial na minha vida, dia 12 de Maio», começou por escrever Bernardina Brito, referindo ao Dia Mundial da Fribromialgia.

A ex-concorrente da Casa mais vigiada do País revela que as dores surgiram «do nada» e que chegam a impedi-la de pegar nos filhos ao colo. «Pegar nos meus filhos doía, dar-lhes banho doía», conta, assumindo que se sentiu «incompreendida isolada, frustrada, revoltada, incapaz e acima de tudo sozinha».

Leia ainda: QUE DIFERENÇA: Bernardina Brito PERDE 14 QUILOS. Veja como ela está!

 

Depois de recorrer a várias especialidades médicas, Bernardina Brito descobriu a causa das dores e, apesar de não ser fatal, assume que se questiona todos os dias. «Pergunto-me todos os dias o porquê? Na verdade não há causa para esta doença e muito menos cura, tenho apenas de aprender a viver com a dor que vai variando e com o stress e ansiedade. Ora estou razoável, ora estou bem, ora estou péssima», explica.

Pronta para a luta, a ex-concorrente deixa um pedido. «Minha querida doença crónica chamada fibromialgia, peço-te só para me deixares pelo menos tratar dos meus filhos e depois ataca à vontade. Até porque já ando a investigar uma maneira de te fazer aliviar um pouco».

 

Doença atinge cerca de 2 a 8% da população

Fibromialgia é uma doença crónica que deixa os afetados com dores neuromusculares e com pontos dolorosos em regiões específicas do corpo. Os sintomas variam em intensidade e podem diminuir temporariamente ou desaparecer momentaneamente. Mudanças de tempo, alterações hormonais, stress, depressão, ansiedade ou um maior esforço maior do que o habitual estão na base destas alterações.

A gravidade dos sintomas torna a fibromialgia muito incapacitante, com importante impacto na qualidade de vida das pessoas afetadas. A fibromialgia atinge cerca de 2 a 8% da população adulta.

Texto: Redação WIN – Conteúdos digitais| Fotos: Redes Sociais

PUB
Top