“Big Brother”: Nuno Santos admite confronto entre Teresa Guilherme e Cláudio Ramos

O Diretor-Geral da TVI, Nuno Santos, assume à TV 7 Dias que, “em tese, parece um risco” juntar Teresa Guilherme a Cláudio Ramos no “Big Brother – Duplo Impacto”. E fala da dinâmica entre os dois.

03 Jan 2021 | 18:50
-A +A

São raros os casos em Portugal em que um reality show é conduzido por dois apresentadores. A TVI vai contrariar esta tendência no “Big Brother – Duplo Impacto”, que se estreia na noite deste domingo, com Teresa Guilherme e Cláudio Ramos à frente do programa. Esta edição vai juntar alguns dos mais emblemáticos concorrentes das duas anteriores edições do formato, cada uma delas apresentada por um deles, além de controversos participantes de outros reality shows da estação de Queluz de Baixo.

A dinâmica entre Teresa Guilherme e Cláudio Ramos é um dos fatores atrativos desta estreia. Em entrevista à TV 7 Dias, o Diretor-Geral da TVI, Nuno Santos, assume o risco que é unir estes dois apresentadores, equiparando-o com o risco corrido quando, no início do ano passado, contratou Cláudio Ramos e quando, meses depois, Cristina Ferreira proporcionou o regresso de Teresa Guilherme ao programa.

“Vamos por partes. Chamar o Cláudio para apresentar o ‘Big Brother 2020’ foi ou não foi um risco? Foi. Correu bem? Sendo muito suspeito, diria que correu bastante bem. Chamar a Teresa para regressar ao ‘Big Brother’ era ou não era um risco depois de ter corrido bem com o Cláudio? Era. Podemos fazer um balanço positivo da prestação da Teresa, agora que a temporada acabou? Bom, com toda a certeza. Juntar os dois é um risco? Em tese, parece um risco. Se nós acreditamos que vai correr bem? Nós acreditamos que vai correr bastante bem e que vai ser surpreendente para o espectador“, afiança Nuno Santos.

 

Prolongar o novo “Big Brother”? “Não está no nosso horizonte”

 

E o que pode adiantar desta mecânica? “Não posso adiantar nada. Acho que a melhor coisa que as pessoas têm a fazer é ligar televisão e perceber como é que eles vão interagir, como é que eles se vão complementar e como é que eles, no fundo, vão casar um com o outro”, refere, dando logo depois a entender que os apresentadores podem, de certa forma, entrar em confronto nesta edição do “Big Brother”.

Haverá “momentos em que eles vão interagir e até aparentemente – não diria divergir – parecer que estão a pensar de formas distintas. Acho que isso faz parte da dinâmica que o programa vai ter e isso é também uma forma de chamar o espectador. Acho que vai ser bastante divertido. E é um desafio para os dois, com certeza que sim, mas isso também é uma parte deste ‘Big Brother – Duplo Impacto'”, garante.

O Diretor-Geral da TVI avança ainda à TV 7 Dias que “não está no horizonte” da estação prolongar a duração desta edição do pai de todos os reality shows, projetada para aproximadamente um mês e meio. “Mas não digo taxativamente que não”, acautela-se.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

 

VEJA TAMBÉM:
“Big Brother”: “Cristiano Ronaldo dos reality shows” garantido no “Duplo Impacto”

PUB