Bronca em direto! Maniche abandona programa do Canal 11 e fala em “censura” e “ditadura”

Maniche é um dos comentadores do “Futebol Total” e desentendeu-se com o apresentador em plena emissão. Ex-jogador do Benfica arrasou Pedro Sousa nas redes sociais.

16 Mar 2022 | 18:00
-A +A

Maniche, antigo jogador do Benfica, Porto e Sporting, é um dos comentadores do programa “Futebol Total”, do canal 11, e, na noite desta terça-feira, 15 de março, abandonou a emissão em direto após um desentendimento com Pedro Sousa, diretor do canal e moderador do programa em questão.

Na origem da quezília, esteve a prestação de Soualiho Meité, médio do encarnados, no jogo que opôs o clube da Luz ao Ajax, para a Liga dos Campeões. Para Maniche, o francês não esteve particularmente inspirado. Já Pedro Sousa considerou que foi um dos melhores da equipa da Luz. “Não te vejo é falar de outros jogadores, que jogam em outras equipas, da maneira como desconsideras este jogador. Não aceito isso, Maniche. Uma opinião aceito, agora desconsiderares dessa maneira um jogador que já jogou no Milan …”, atirou o diretor do canal 11. Maniche retaliou: “É a minha opinião, tens de respeitar como eu respeito a tua”. Instantes depois, o antigo jogador ‘desapareceu’ das câmaras e não mais voltou.

 

Veja esse momento aqui:

 

 

Nas redes sociais são vários os internautas desagradados com a situação, acusando a Federação Portuguesa de Futebol de “lápis azul”. “Vergonhosa a atitude do #canal11futeboltotal. Se não falas o que o diretor gosta de ouvir, és mal tratado. Mesmo que sejas um Campeão Europeu. Fizeste muito bem, Maniche, em não permitires que te desrespeitem. Serás sempre um dos nossos”, “Uma vergonha o que se passou e o que fizeram hoje ao Maniche!” são apenas algumas das críticas que se podem ler nas redes sociais.

Maniche já reagiu nas redes sociais

Ao início da tarde desta quarta-feira, dia 16, Maniche escreveu um longo texto nas redes sociais a falar sobre o que se passou e fala mesmo em “censura” e “ditadura”.

“Sobre liberdade de expressão”, começou por escrever. “Aos espectadores do Canal 11 e aos meus seguidores e amigos. A todos os que desde ontem me enviaram milhares de mensagens de apoio. A todos os que assistem ao programa ‘Futebol Total’, cuja camisola vesti com orgulho, no maior interesse do comentário isento a este desporto que é nossa alma e paixão”, escreveu.

“Ao contrário de outros, e como ex-jogador, primei sempre, antes de qualquer partidarismo clubista, pela defesa do Jogador. O ‘jogador de futebol’ que é sempre a parte da história mais devassada, a que mais sofre pela crítica, tantas vezes desumanizada, nunca desculpabilizada. Não crítico jogadores, não os desumanizo. O que se nos solicita, é uma opinião. Tenho direito à minha“, disse.

Maniche explicou a sua reação, dizendo que não pode compactuar com o que aconteceu no programa: “Assim, não podia agir com passividade perante a atitude Machartista de um pivô, travestido de analisador purista, que atua como ‘lápis azul’, vergonhoso símbolo da censura e da ditadura portuguesa, onde os cortes têm por objetivo impedir e limitar as tentativas daquilo que este pivô considera subversão”.

“Não obstante, manifestou-se, ele próprio, livremente, ao longo de mais de dois anos de emissão, de formas que considerei muitas vezes ofensivas à integridade de jogadores, clubes, dirigentes, dos outros comentadores, de amigos meus e em última análise, ontem, de mim próprio. Em tempos como estes, mais do que nunca, falta de liberdade de expressão, não passará”, terminou.

Fotos: Impala

PUB