Cabeleireira de Braga mete ação em tribunal após mudança de visual de Cristina Ferreira

Cristina Ferreira foi criticada por se mostrar a mudar de visual para o programa, “All Together Now”, em pleno confinamento. Uma cabeleireira de Braga moveu uma ação em tribunal contra o Estado.

29 Jan 2021 | 14:20
-A +A

Cristina Ferreira mudou de visual para assumir a condução de “All Together Now”, programa de caça-talentos que deverá estrear-se na TVI ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Algo que fez frequentemente quando estreia um formato de grande impacto. Quem não gostou de ver esta mudança, partilhada em vídeo pela apresentadora,  foram alguns os profissionais da área, que estão impedidos de trabalhar devido ao confinamento decretado pelo Governo como medida de combate à pandemia de covid-19.

Como medida de protesto, uma cabeleireira de Braga moveu mesmo uma ação “urgente” de intimação para a proteção de direitos, liberdades e garantias contra o Estado português no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga. A dona do salão de beleza em cauda decidiu avançar depois de ver Cristina Ferreira a partilhar um vídeo onde se mostra a mudar de visual e a colocar extensões no cabelo.

A gerente pede “igualdade” entre setores e “lay off’ sem restrições. “O cenário é assustador ao nível da saúde pública e percebemos que tenha que haver restrições. Não se trata de querer abrir para prejudicar, aliás, a nossa intenção nem passa por aí”, diz Vânia Oliveira, gerente da Sorriso Figura, ao jornal O Minho. “Se não é possível prestar serviços de cabeleireiro, então ninguém os pode prestar e, além disso, tem que haver igualdade no tratamento dos vários sectores”, assume frisando que foi o vídeo partilhado pela apresentadora que despoletou esta atitude.

Imagem partilhada por cabeleireiros com o vídeo partilhado por Cristina Ferreira

“[Foi aí] que a revolta me surgiu e decidi, sem medos, que tinha que fazer alguma coisa não só por mim, mas pelas minhas trabalhadoras e por todos os que estão fechados e em dificuldades. Se uns podem trabalhar num conceito de domicílio, então podemos todos, ou não pode nenhum e aí entram os apoios, é tudo uma questão de igualdade”, sublinha para depois acrescentar:

“Não está a haver igualdade. E a saúde está preocupante. Fechamos? Sim. Mas então que nos tratem a todos por igual e os apoios aconteçam, sem entraves, porque a fome e as dificuldades estão a surgir”, conclui.

Indignação nas redes sociais contra Cristina Ferreira

Nas redes sociais, as críticas sucederam-se, com mensagens em que se fala de “desigualdade” e em que se acusa Cristina Ferreira de não ser “uma pessoa sensata” e “desrespeitar as profissões que, embora não essenciais, fazem um bem danado”.

“Isto é um insulto a quem está privado de trabalhar”, diz uma delas. “Verdade. Muito triste. Para vocês, profissionais, que não podem trabalhar e para os clientes que não podem usufruir dos vossos serviços”, refere numa outra. “É uma questão de sensibilidade”, lê-se ainda.

“Sabemos perfeitamente que [as apresentadoras] são penteadas, mas fazer gala disto? Os cabeleireiros estão no chão e ela, já no outro confinamento, gozou com os cabeleireiros… Estou revoltada”, frisa uma internauta. “Aqui não se trata de ser a Cristina ou qualquer outra, trata-se de desigualdade”, acrescenta mais uma.

Veja algumas das críticas na nossa galeria.

Porém, recorde-se que apesar de existirem vários cabeleireiros que foram obrigados a fechar portas devido à pandemia da covid-19, são vários os profissionais que continuam a exercer as suas funções. TVI, SIC e RTP1 mantém as suas habituais rotinas, com todos os devidos cuidados, e maquilham, como até então sempre aconteceu, os (as) apresentadores (as). Maria Botelho Moniz, Diana Chaves, Sónia Araújo, são alguns exemplos.

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: Reprodução Instagram
Veja também:
“All Together Now”: Cristina Ferreira quer “passar a perna” a Ljubomir Stanisic
“Isto é um insulto”: Cabeleireiros furiosos com Cristina Ferreira após mudança de visual

PUB
Top