Carlos Costa ABRE O CORAÇÃO a ex-Love On Top!

Carlos Costa teve uma conversa intimista com um ex-concorrente do programa mais polémico da TVI. O cantor recordou o seu percurso e falou sobre todo o ódio que costuma receber diariamente.

31 Mai 2019 | 14:10
-A +A

Pedro Seixas, ex-concorrente do Love On Top 7, deu início a um novo projeto no Youtube e Carlos Costa é o primeiro convidado. Isto Não É O Que Parece! é o nome do canal que pretende ir além de uma simples entrevista e ser uma conversa entre dois amigos, que procura saber o que existe na sombra da fama e «mostrar o que esta por detrás das câmaras».

Na conversa, Carlos Costa recorda o percurso no Ídolos e relembra os colegas da sua edição, em 2009. «Todos nós seguimos caminhos diferentes», afirma.

A irreverência do cantor sempre foi uma das principais características do cantor, que fez com que tivesse muitos «haters». Apesar de no início confessar ter sido um processo difícil de gerir, agora Carlos aprendeu a «relativizar» esses comentários e até agradece às pessoas que não gostam dele.

«Tenho de agradecer o hate do publico, porque senão eu não era a personagem controversa que sou hoje em dia», diz.

«Destilei muito ódio na minha vida»

A versatilidade do artista, que passou de cantor a bailarino, ator e influencer, faz com que o jovem acredite em assumir um papel muito importante na sociedade.

«Tornei-me num pseudo ativista de várias coisas, não só da comunidade LGBT. Para mim, é completamente impensável que existam comentários de ódio a meu respeito ou a respeito de outras pessoas nas minhas páginas», refere.

«Produzir e destilar ódio é uma perda de tempo. as pessoas têm de aprender isto», acrescenta. No entanto, Carlos confessa: «Destilei muito ódio na minha vida, falei mal de muita gente na minha vida». 

«Se não fosse o José Castelo Branco, não era, de todo, sequer possível»

«Não sou feliz a toda a hora nem todos os dias, mas todos os dias sou feliz durante um bocadinho», afirma Carlos Costa.

Apesar de achar que ele e José Castelo Branco «não são comparáveis», Carlos assume a importância que a personagem do socialite na sua vida:

«Se não fosse o José Castelo Branco, não era, de todo, sequer possível que eu tivesse as portas abertas para fazer certas coisas que faço hoje em dia»

«Personagens como nós são importantes para que a sociedade evolua no bom caminho», remata.

Assista ao vídeo!

Carlos Costa é «chocante, provocador e polémico»

Em conversa com a TV 7 Dias, Pedro Seixas, autor do canal, revela que esta iniciativa surge de «uma necessidade de fazer algo». Quase um ano depois da passagem pelo Love On Top e prestes a terminar a licenciatura em Comunicação, há muito que sentia a necessidade de não ficar parado.

«Desde pequeno que admiro os talkshows e sempre quis ter o meu. Queria ter um espaço de conversa onde se fala abertamente, onde se dá a conhecer a pessoa e não a persona. Daí a escolha do nome», conta.

Quanto à escolha de Carlos Costa para primeiro convidado, o nortenho revela que foi o nome que lhe «veio logo à mente».

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Não percam esta semana, o primeiro episódio deste projecto que me enche de orgulho! 🔥🙏🏼😁

Uma publicação partilhada por Pedro D’Seixas (@pedrodseixas) a

Acho que ele tem tudo a ver com o programa. O nome Carlos Costa estimula o imaginário das pessoas. É chocante, provocador e polémico. Mas também é uma ótima pessoa e é isso que eu quero que se veja no programa», afirma.

Texto: Inês Borges/ Fotos: DR

 

PUB
Top