Carlos de Big Brother em lágrimas ao falar do pai: «Não sei o que vai achar de mim»

Carlos traçou a curva da vida e comoveu todos ao falar sobre o pai e a relação ausente que tem com o progenitor. «Nunca tive uma conversa séria com o meu pai», confessa.

12 Out 2020 | 0:23
-A +A

Carlos abriu o coração para, na curva da vida, fazer algumas revelações sobre o seu passado. O concorrente do Big Brother – A Revolução revelou sempre ter tido uma realção ausente com o pai e que isso também gerou em si alguma revolta, levando-o a ter comportamentos agressivos.

«Nunca tive uma relação muito próxima com o meu pai. A minha mãe soube compensar essa ausência. Nunca gostei de desabafar as minhas coisas com ninguém, até porque a minha mãe já tinha tido uma depressão e eu não queria estar a ser mais uma preocupação», começou por dizer.

«Eu comecei a sentir raiva. Parecia que tudo o que eu fazia dava errado, parecia que eu era julgado por tudo e mais alguma coisa. Senti que era a ovelha negra da minha família. Eu tinha um comportamento agressivo», afirmou, visivelmente emocionado. Foi nessa altura que Carlos viu na música um escape para a revolta que sentia.

 

«Nunca dei motivos à minha familia para se orgulhar de mim»

«O meu pai tem um transtorno bipolar. Foi um choque para mim ver o meu pai internado. Foi uma situação que eu chorava sozinho. Não sei o que é que ele vai achar de mim. Um dos objetivos para que me inscrevi aqui foi para que o meu pai me conhecesse realmente porque eu, em 25 anos, nunca tive uma conversa séria com o meu pai. Ele não sabe nada disto que senti. Nós queremos sempre ser um orgulho e eu nunca dei motivos à minha familia para se orgulhar de mim», confidenciou o concorrente do reality show da TVI.

Contudo, e apesar dos sentimentos guardados e dos problemas que foi tendo que encarar ao longo dos seus 25 anos, Carlos reconhece que hoje é uma pessoa mais madura, não se considerando já «uma pessoa problemática». O concorrente do reality show da TVI referiu ainda que espera que a família esteja orgulhosa de si, realçando mais uma vez a importância da opinião do pai para si. «Espero que esteja orgulhoso», reforçou.

 

«O pai está constantemente a vê-lo»

Na gala deste domingo, 12 de outubro, estiveram presentes a namorada de Carlos, Andreia, a mãe Isilda e a tia Celeste, que não contiveram as lágrimas perante as confissões do jovem.

A mãe de Carlos não quis tecer quaisquer comentários, consumida pela emoção, no entanto Andreia falou do orgulho que ela e a família sentem do concorrente.

«Ele sempre teve potencial para tudo o que ele é hoje, ele precisava de se encontrar , tomou balanço comigo mas tudo o que é hoje pode agradecer a ele mesmo, à família que tem, à mãe que tem principalmente. Tudo o que é hoje é motivo de orgulho para mim e para todos. Eu não tenho palavras, eu dei-lhe o avanço mas ele conseguiu sozinho», disse a namorada de Carlos.

Também a tia teceu alguns comentários, fazendo referência ao pai de Carlos: «Quero que continue a ser o que está a ser e o que ele diz que não foi motivo de orgulho para a família foram coisas muito pequenas. Não sei como ele diz isso. O pai está a encarar com muitas saudades mas com orgulho. O pai está constantemente a vê-lo.»

Texto: Marisa Simões; Fotos: DR
Leia ainda:
Big Brother – A Revolução: Pai de Carlos sofre de transtorno bipolar!
Big Brother – A Revolução: Catarina é a concorrente expulsa!

PUB
Top