Carlos Martins fala sobre saúde do filho: «O pior já passou mas o medo está cá sempre»

O filho do meio do ex-jogador do Benfica venceu a luta contra uma aplasia medular. Gustavo foi diagnosticado com esta forma de cancro em 2011.

13 Jul 2018 | 18:45
-A +A

Gustavo tinha três anos quando tudo começou. Em 2011, Carlos Martins descobriu que o filho sofria de aplasia medular, uma forma de cancro em que a medula óssea deixa de produzir as células do sangue.

Seis anos depois o menino, agora com nove anos, olha para a vida com um sorriso gigante pois, «de há um ano para cá está clinicamente bem».

Em entrevista – no evento em que Paulo Battista foi apresentado como embaixador do Gin Lovers – o ex-jogador do Sport Lisboa Benfica revelou que Gustavo está recuperado e, após a longa luta, a família agora quer aproveitar a vida ao máximo.

«O Gustavo está ótimo, está bem. De há um ano para cá está clinicamente bem. Agora é usufruirmos da vida, cada dia é um dia. Ele está feliz», contou.

«Foi a minha luta»

Orgulhoso, o empresário – que atualmente se dedica a investimento no ramo imobiliário – explicou que o medo se mantém apesar de a «tempestade» já ter passado.

«Foi a minha luta. A minha e a da minha família. Com a ajuda de todos, correu tudo bem. Em termos clínicos o pior já passou, mas o medo está cá sempre.»

Seis anos depois do início deste drama, Carlos Martins olha para a vida com outros olhos. O antigo jogador explicou que passou a valorizar momentos que «as pessoas não ligam».

«Mudou tudo, completamente. A minha visão para a vida, os aspetos que nós não ligamos muito, mas que são fundamentais», continuou. «Quando estamos na mó de baixo pedimos ‘Deus queira que ele possa ir à rua’. Infelizmente, pelo lado mau, aprendi a dar valor a esses momentos. Foi todo um processo que durou e felizmente consigamos ultrapassar».

RECORDE: O milagre de Gustavo

 

Filhos em primeiro lugar

Desde a doença, Carlos faz questão  de dedicar o seu tempo aos filhos e deixa que as crianças até escolham o destino das férias.«As férias são eles que decidem. Agora tenho o tempo para eles, dou-lhes essa oportunidade», contou o ex-futebolista.

Em relação à carreira após a saída do futebol, disse: «Tenho feito alguns investimentos, tenho estado atenta ao mercado, mais na área da imobiliária. A minha prioridade é acompanhar a minha família, sempre lutei por isso. Depois ocupo o meu tempo com estes investimentos quando acho que são bons».

Gustavo tem três irmãos mais novos: Martim, de sete, Maria Inês, de cinco e uma irmã mais velha, de 18 anos, fruto de uma antiga relação da mulher do jogador, Mónica Martins.

Tudo começou em 2011

Em 2011, Gustavo, de três anos, foi diagnosticado com aplasia medular e precisava de um transplante urgente de medula óssea. O dador compatível foi encontrado em 2012 e a acompanhamento clínico continuou até 2017.

Recorde alguns momentos na galeria.

 

Fotos: Arquivo Impala

PUB
Top