Carolina sobre o parto: «Não estou nada ansiosa.»

A menos de um mês de ser mãe pela terceira vez, a apresentadora do «Fama Show»fala ainda das críticas a que é sujeita!

03 Mar 2018 | 16:02
-A +A

Carolina Patrocínio é uma das mamãs mais badaladas do panorama artístico nacional e por isso mesmo foi a convidada especial de uma sessão das «Conversas com Barriguinhas», que aconteceu no Hotel Vila Galé Ópera.

Durante mais de duas horas, a apresentadora conversou com dezenas de grávidas e partilhou a sua experiência como mãe de terceira viagem. «Foi super interessante, porque apesar de manter o contacto máximo com as pessoas  que me seguem nas redes sociais, aqui  é mais direto e tive uma manhã super bem passada e espero ter respondido a tudo», explica. 

Muitas das questões estiveram relacionadas com a alimentação e o exercício físico durante a gravidez. Um aspeto que já não é novidade para Carolina. «Com estas plataformas nas redes sociais, acabamos por ter um bocadinho os ecos do que as pessoas querem saber e de facto perguntam muito sobre esses temas».

«Não estou nada ansiosa»

Mãe de Diana, de quatro anos e de Frederica de dois, Carolina Patrocínio quis ser surpreendida nesta terceira gravidez. A apresentadora do «Fama Show» e o marido, Gonçalo Uva, preferiram não saber se iriam ter um menino ou uma menina. «Foi mesmo uma opção. Isto não cria mais ansiedade, porque não estou nada ansiosa, mas cria mais excitamento e curiosidade de descobrir o que é, no dia. E de facto não vou ter as coisas organizadas porque só vou descobrir no dia em que nascer. Vou fazer uma malinha com roupa neutra, branca. Se for menina não preciso de comprar rigorosamente nada, mas se for rapaz tenho de ir às compras, o que não é mau», brinca.

E no que diz respeito a nomes? Será que essa decisão também está adiada para o dia do nascimento da criança -que está previsto para o final do mês de março? «Tal como das outras bebés, nós apesar de termos algumas escolhas de quatro ou cinco nome, só escolhemos quando as bebés nasceram. Agora passa-se exatamente o mesmo. Temos algumas opções, sabemos do que é que gostamos, e vamos esperar», garante. 

«Passam-me o rótulo de mãe descontraída»

Carolina Patrocínio é adepta das redes sociais e mostra muito a vida familiar na sua conta de Instagram. E para quem segue a jovem, sabe que  «descontração» é palavra de ordem. «Passam-me muito este rótulo, de eu ser descontraída e eu acho que ajo de forma natural. Sou a segunda filha de seis irmãs e sempre vivi com a minha mãe tendo bebés pequeninos em casa ou estando grávida, portanto é algo verdadeiramente natural», explica.

Mas qual será a fórmula mágica para «descomplicar»? «Não há propriamente segredo. Era bom descomplicar algumas mentes, mas infelizmente não dá. Acho que é muito hereditário, através do exemplo,  e depois tem a ver com a personalidade. Agora há de facto alguns exercícios que as pessoas podem fazer de relativização que é o que eu acho que muitas vezes as pessoas não fazem. Tenho muito esse poder de saber relativizar as coisas más e boas.»

E prova disso é o facto de ser muitas vezes apontada ou pelo tamanho da sua barriga, ou pelo que come, ou pelo que dá às suas filhas para comerem… Tudo o que envolve Carolina Patrocínio, acaba por ser motivo de «polémica». A apresentadora da SIC reage com um sorriso. «Dou importância às coisas aquilo que elas têm. E que importância tem a opinião de uma pessoa que eu não reconheço dizer alguma coisa sobre a minha barriga? Se for um pai, uma mãe, ou uma irmã, uma pessoa fica angustiada e pensa sobre o assunto e vai pensar se está certo ou errado, agora, não é o caso. E portanto eu dou a importância que acho que essas coisas têm», relativiza.

A reação das filhas à chegada de mais um bebé

Indo a família aumentar já no final do mês, Carolina revela como estão a reagir as suas meninas à chegada do mano ou da mana. «A Diana já percebe e pergunta muito. Ela da primeira teve ciúmes. Agora já pergunta e diz que vai ser rapaz. A Frederica ainda é pequenina e não percebe.». E será que Carolina e Gonçalo se ficam pelos três filhos, ou farão parte de um agregado familiar numeroso? «Tem alturas em que digo que quero fechar a loja e outras em que quero ter uma família grande. Vamos ver», finaliza com um sorriso.

 

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Tito Calado

PUB
Top