“Caso encerrado”: Vencedor da Eurovisão acusa negativo no teste de despiste de drogas

Damiano David, vocalista dos italianos Måneskin, que se sagraram vencedores do Festival Eurovisão da Canção, acusou negativo no teste de despiste de drogas. A organização dá o caso por “encerrado”.

24 Mai 2021 | 20:10
-A +A

A organização do Festival Eurovisão da Canção revelou, esta segunda-feira, o resultado do teste de despiste de drogas a que Damiano David se sujeitou na sequência das polémicas imagens transmitidas durante o certame que levantaram dúvidas sobre o vocalista dos Måneskin. O italiano acusou “negativo” e a União Europeia de Radiodifusão (UER, ou EBU na sigla inglesa) considera, por isso, “o caso encerrado”.

“Seguindo as alegações do uso de drogas na Sala Verde da final da Eurovisão no sábado, 22 de maio, a União Europeia de Radiodifusão (EBU), a pedido da delegação italiana, conduziu uma revisão minuciosa dos factos, incluindo a verificação de todas as gravações disponíveis”, diz, no mesmo comunicado, a organização da Eurovisão, “preocupada” com o facto de “especulações incorretas que levaram a notícias falsas tenham ofuscado o espírito e o resultado do concurso e tenham injustamente afetado a banda”.

“Queremos congratular mais uma vez os Måneskin e desejar-lhes muito sucesso”, remata a EBU.

O grupo musical venceu, no passado sábado, em Roterdão, Países Baixos, o Festival Eurovisão da Canção. Os representantes de Itália levaram a concurso o tema “Zitti E Buoni”.

 

 

Durante a final do concurso internacional de música, enquanto as votações ainda decorriam, alguns repórteres entrevistaram os concorrentes na sala verde. Quando as câmaras se aproximaram dos Måneskin, Damiano David estava curvado sobre a mesa, num gesto suspeito, em que parecia estar a consumir droga. Ao aperceber-se de que as câmaras estavam a filmar, o músico da banda Ethan Torchio deu-lhe um toque no braço.

Este momento durou apenas uns segundos, mas foi o suficiente para incendiar a Internet e viralizar em todo o mundo, principalmente no Twitter. A polémica foi de tal maneira intensa que o próprio cantor sentiu necessidade de vir a público negar que estivesse a consumir droga e explicar o que aconteceu. Damiano David afirmou que, no momento em que as câmaras se aproximaram, ele baixou a cabeça para olhar para dois copos que caíram ao chão e que se tinham partido.

 

 

“Não uso drogas, por favor. Não digam isso, a sério. Nada de cocaína. Por favor, não digam isso”, disse mesmo o músico, quando confrontado por jornalistas na conferência de imprensa que se seguiu à consagração de Itália no Festival Eurovisão da Canção.

Mais tarde, os Måneskin deixaram uma mensagem nas redes sociais: “Estamos muito chocados com o que algumas pessoas estão a dizer sobre o Damiano usar drogas. Somos contra as drogas e nunca consumimos cocaína. Estamos prontos para fazer um teste, porque não temos nada a esconder. Estamos aqui para tocar a nossa música e estamos tão felizes por ter ganho a Eurovisão que queremos agradecer a todos pelo apoio. O rock nunca morre”. O resultado foi, então, conhecido e não deixa margem para dúvidas: o jovem italiano acusou negativo para a presença de droga no organismo.

 

Texto: Dúlio Silva com Patrícia Correia Branco; Fotos: NPO/NOS/AVROTROS NATHAN REINDS e EBU/THOMAS HANSES/ANDRES PUTTING

PUB
Top