Caso George Floyd: Polícia condenado a 22 anos de prisão pelo homicídio do afro-americano

O polícia que matou George Floyd, ao ter-lhe pressionado o pescoço com o joelho, foi condenado a 22 anos e seis meses de prisão. O advogado da família do afro-americano fala em “sentença histórica”.

26 Jun 2021 | 10:30
-A +A

O caso George Floyd chega ao fim com a sentença do ex-agente da polícia Derek Chauvin a 22 anos e seis meses de prisão pelo homicídio do afro-americano na cidade de Minneapolis, a 25 de maio de 2020.

“Esta sentença histórica permite que a família Floyd e a nossa nação estejam um passo mais próximos de sarar, por garantir uma conclusão e o apuramento de responsabilidades”, escreveu o advogado da família de George Floyd, Ben Crump, no Twitter.

 

Juiz diz que sentença não se baseia na “opinião pública”

 

Quando proferiu a sentença, dada esta sexta-feira, 25 de junho, o juiz Peter Cahill explicou que a mesma “não se baseia na emoção ou na simpatia”, nem na “opinião pública”, mas apenas nos factos comprovados apresentados em tribunal.

Derek Chauvin, de 45 anos, tinha sido considerado culpado da morte do afro-americano, ao ter-lhe pressionado o pescoço com o joelho durante nove minutos, no final de abril. Floyd era suspeito de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja e acabou por sucumbir às mãos da polícia.

A morte de George Floyd fez espoletar em todo o mundo protestos contra o terrorismo.

 

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: D.R.

 

VEJA AINDA:
Conceição Queiroz chora em direto ao dar notícia de George Floyd

PUB