Caso Marega: Bento Rodrigues faz abertura de Primeiro Jornal épica

O pivô iniciou o Primeiro Jornal com um momento que está a merecer um rol de elogios na Internet. O Ministério Público confirmou, entretanto, a abertura de um inquérito ao caso que atinge Marega.

17 Fev 2020 | 15:42
-A +A

Não se fala de outra coisa. Naquele que é um caso sem precedentes em Portugal, o futebolista do FC Porto Moussa Marega abandonou o relvado do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, depois de ter sido alvo de insultos racistas por parte de adeptos. O assunto tomou conta da imprensa nacional e foi reproduzido em jornais de todo o Mundo. A SIC não foi exceção e, na abertura do Primeiro Jornal, Bento Rodrigues tomou conta do momento com um editorial que está a merecer elogios de vários espectadores.

O relógio marcava 13 horas quando o jornalista surgiu na antena de Paço de Arcos, com uma imagem do jogador como pano de fundo. «Começamos este jornal com o rosto do caráter, da coragem e da lucidez», afirmou o pivô, para logo depois justificar cada uma das características que atribui ao avançado maliano.

«A coragem de ser o primeiro futebolista em Portugal e um dos poucos no Mundo a abandonar um jogo depois de ouvir insultos racistas. O caráter de desafiar os que o tentaram travar sem perceberem que já não era sobre um jogo de futebol nem sobre o resultado, mas sobre o que nos define enquanto civilização. A lucidez de saber que este é o momento que define um homem, que esta atitude vai muito para lá do estádio, que tem impacto nas ruas, nos bairros, nas vidas dos que sofrem insultos racistas todos os dias», elencou.

«Agora, a notícia», terminou Bento Rodrigues, colocando uma barreira entre as suas convicções e o que é, de facto, a notícia. E assim foi, com a SIC a difundir imagens da Sport TV nas quais se podem ouvir os ataques de índole racista com os quais Moussa Marega foi atacado durante a partida.

Logo depois deste momento, a rede social Twitter encheu-se de elogios à iniciativa de Bento Rodrigues em representação da SIC. O músico Miguel Guedes, adepto dos portistas, assinou um dos muitos. «Muito bem, Bento Rodrigues», escreveu. Mas não foi o único:

 

 

Passo a passo de um caso único em Portugal

 

Marega pediu para ser substituído ao minuto 71 do jogo que opôs o Vitória de Guimarães ao FC Porto, numa altura em que os dragões venciam por 2 a 1, resultado com que viria a terminar o encontro. Isto já depois de o avançado ter marcado um golo, aos 60 minutos, e de já aí se ter insurgido contra o público vimaranense pelo tratamento hostil de que estava a ser alvo.

O futebolista tolerou durante vários minutos os cânticos e gritos racistas de adeptos da formação vimaranense, mas aos 71 minutos decidiu mesmo colocar um ponto final no que se estava a passar e abandonar o relvado. Jogadores e equipa técnica ainda tentaram demover Marega, mas o avançado não recuou na decisão e foi diretamente para os balneários.

No final do jogo, o treinado dos dragões, Sérgio Conceição, afirmou que o jogador estava a ser insultado desde o aquecimento. De recordar que tanto o futebolista como o técnico já estiveram ao serviço do Guimarães.

Indignado, Marega já se pronunciou publicamente sobre o caso, classificando de «idiotas» os adeptos que proferiram insultos racistas. «Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas … vá-se foder! E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-lo em um campo de futebol! Você é uma vergonha», escreveu o maliano.

Já na manhã desta segunda-feira, o FC Porto atribuiu o prémio Mérito e Valores Porto a Marega, uma distinção habitual em todas as partidas e que serve para distinguir aquele que, de acordo com o clube, foi o melhor em campo. Entretanto, o Ministério Público confirmou a abertura de um inquérito ao caso dos insultos racistas ao futebolista.

 

O que diz a imprensa internacional?

 

O ataque racista a Moussa Marega é, como já referido, notícia lá fora. A imprensa internacional não passou ao lado do que aconteceu e escreve «Vergonha em Portugal»como se pode ler no diário espanhol Marca.

O também espanhol As classifica de «caso racista» e relata como Marega abandonou o campo após os insultos e, nas redes sociais, atacou o árbitro e os adeptos. «O futebol português viveu hoje um dos episódios mais vergonhosos da sua história», pode ler-se na página deste diário espanhol.

Outros meios de comunicação falam mesmo em «escândalo». A britânica BBC também dá destaque ao caso, relatando a reação do futebolista e também dos principais intervenientes do futebol português. A norte-americana ESPN também relata o caso. O italiano Gazetta dello Sport fala em «escândalo em Portugal».

 

VEJA TAMBÉM:
Marega e mais 10 jogadores que já foram vítimas de insultos racistas

 

Texto: Dúlio Silva, Inês Neves e Raquel Costa; Fotografias: Reuters e FC Porto

PUB
Top