Cavaleiro João Moura é acusado de 18 crimes de maus-tratos a animais

João Moura, o cavaleiro de 61 anos, foi acusado pelo Ministério Público de Portalegre de 18 crimes de maus-tratos a animais de companhia, um deles agravado.

06 Jan 2022 | 8:15
-A +A

João Moura, de 61 anos, foi acusado pelo Ministério Público de Portalegre de 18 crimes de maus-tratos a animais de companhia, um deles agravado, esta terça-feira, 4 de janeiro. A informação é avançada por uma publicação diária.

O cavaleiro, recorde-se, foi detido a 19 de fevereiro de 2020 na sequência de uma denúncia anónima, que originou uma investigação levada a cabo pelo Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR).  Nessa altura, a GNR encontrou dezenas de cães de raça Galgo subnutridos na propriedade de João Moura, em Monforte, Alentejo. Os animais foram resgatados, contudo, um deles não resistiu e chegou a morrer, apesar dos cuidados veterinários que lhe foram prestados.

João Moura chegou a ser interrogado pelo Tribunal de Portugal, mas depois saiu em liberdade com Termo de Identidade e Residência. Agora, quase um ano depois, caso João Moura seja condenado, a pena aplicada pode ir até dois anos e quatro meses de prisão, avança o CM.

Recorde aqui as imagens impressionantes dos cães em estado crítico.

 

João Moura nega os maus-tratos aos 18 cães

Em declarações ao Farpas blogue, o cavaleiro explicou: “Fui detido para ser ouvido pela GNR em Monforte, não foi em Tribunal. Tinha lá uns cães mais magros e alguém denunciou isso, mais nada”.

“Já prestei as minhas declarações e estou em casa tranquilo e com a consciência tranquila. Não matei ninguém, não roubei ninguém, não tratei mal os meus cães, alguns estavam magros, mas não os tratei mal!”, disse, na altura.

 

Texto: Carolina Sousa; Fotos: Arquivo Impala 

 

PUB