Celebram-se quatro décadas de “Gabriela”

Foi a 16 de maio de 1977 que Portugal parou para assistir ao primeiro episódio da trama que mudou o país.

17 Mai 2017 | 12:58
-A +A

O mês de maio de 2017 celebra 40 anos da transmissão de “Gabriela”, da Globo, na televisão portuguesa. A jovem com cheiro a cravo e canela, conquistou de tal forma o público, que o país parava para assistir, ainda a preto e branco, à primeira trama brasileira a ser exibida no país de Camões.

Estima-se que mais de quatro milhões de portugueses tenham assistido a esta produção da autoria de Jorge Amado. Sónia Braga era a protagonista e não havia quem ficasse indiferente à beleza e sensualidade desta atriz, que vestia a pele da rebelde “Gabriela”.

À hora da novela, às nove da noite, logo a seguir ao “Telejornal”, as ruas ficavam desertas. A Assembleia da República chegou a adiar votações importantes para que os deputados não perdessem o fio à meada. Até o então primeiro-ministro, Mário Soares, interrompeu uma reunião com os seus ministros porque todos aguardavam ansiosamente pelo final da história. Ninguém perdia pitada do que se passava na trama.

“Gabriela” faz parte da história da televisão no Brasil, mas acima de tudo faz parte da dramaturgia portuguesa por ter sido a primeira trama a passar na televisão no nosso país. 

Passaram 40 anos. Quatro décadas em que a ficção não parou de crescer, mas em que a história de Jorge Amado continua a fazer sucesso.

Em 2012, surgiu o remake protagonizado por Juliana Paes. Uma Gabriela mais moderna, mas com a mesma sensualidade e rebeldia. 

Percorra a nossa galeria e recorde alguns dos momentos mais marcantes da famosa “Gabriela Cravo e Canela”.

PUB
Top