Coca-Cola responde a Cristiano Ronaldo. UEFA também já reagiu à polémica do momento

Cristiano Ronaldo afastou duas garrafas de Coca-Cola na conferência de imprensa que antecedeu o jogo entre Portugal e a Hungria. A marca de refrigerantes já reagiu ao polémico gesto do futebolista.

16 Jun 2021 | 18:10
-A +A

O momento em que Cristiano Ronaldo afastou duas garrafas de Coca-Cola e substituiu-as por uma de água, na conferência de imprensa que antecedeu o jogo desta terça-feira, 15 de junho, entre a Hungria e Portugal, a contar para o Euro 2020, continua a dar que falar. A marca de refrigerantes e a UEFA não quiseram ficar caladas e já responderam ao capitão da Seleção Nacional.

De acordo com um porta-voz da marca de refrigerantes, em declarações ao jornal britânico Daily Mail, todos os jogadores têm acesso a “água, assim como a Coca-Cola e Coca-Coca Zero, à chegada às conferências de imprensa”. O mesmo representante destacou, ainda, que “todas as pessoas têm direito às suas preferências no que se refere a bebidas”.

Já a organizadora do campeonato europeu de futebol esclareceu, também a propósito da provocação de Cristiano Ronaldo, que sem o patrocínio dessa empresa de bebidas não seria possível “organizar um torneio com tanto sucesso para jogadores e adeptos, nem investir no futuro do futebol a todos os níveis”.

 

Cristiano Ronaldo já se tinha manifestado contra a Coca-Cola

 

Em dezembro do ano passado, aquando da cerimónia de entrega de prémios dos Globe Soccer Awards, o madeirense falou sobre o futuro do filho mais velho nos relvados. Na altura, garantiu que Cristianinho, que celebra esta quinta-feira, 17 de junho, 11 anos, quer seguir as pisadas do pai, mas lamentou que o menino não resista à gula.

“Vamos ver se vai ser grande jogador. Ainda não é. Às vezes, ele bebe Coca-Cola, refrigerantes, come batatas fritas e sabe que eu fico irritado. Digo-lhe, às vezes, que depois da passadeira deve mergulhar-se em água fria, para recuperar, e ele diz ‘pai, mas está tão frio…’. É normal, tem dez anos. Ele tem potencial. É rápido, dribla bem. Mas isso não é nada, não chega. É preciso muito trabalho e dedicação, estou sempre a dizer-lhe. Não o vou pressionar para ser jogador de futebol, mas se me perguntarem se quero, claro que quero. No entanto, quero sobretudo que ele seja o melhor, seja futebolista ou médico”, disse Cristiano Ronaldo.

 

Cristiano Ronaldo fez Coca-Cola perder milhões? História não é bem assim…

 

Depois de Cristiano Ronaldo ter trocado duas garrafas de Coca-Cola por uma de água, surgiram várias notícias que davam conta que a gigante marca norte-americana tinha perdido vários milhões em bolsa após esse gesto do capitão português. Mas pode não ser bem assim…

De acordo com a imprensa internacional, numa notícia que foi replicada por vários órgãos de comunicação social portugueses, este gesto de Cristiano Ronaldo teria provocado uma queda de 1,6 por cento no valor das ações da marca, o que corresponde a uma desvalorização de cerca de 3,3 milhões de euros. No entanto, segundo o Mais Futebol, a desvalorização das ações da marca começaram ainda antes do jogador ter trocado as garrafas.

Ou seja, CR7 sentou-se na sala de conferência de imprensa às 14h43, mas a bolsa de Nova Iorque, onde a marca norte-americana está cotada, abriu às 14h30 (hora de Portugal) e já estava em queda, num valor muito abaixo do de fecho de sexta-feira.

Apesar desta análise do Mais Futebol, certo é que o jornal espanhol A Marca analisou os dados da bolsa e garante que esta atitude de Ronaldo teve influência na queda das ações. Na abertura do mercado, as ações valiam 56,10 dólares cada. Meia hora depois, ou seja, depois da troca das garrafas, caíram para 55,22 dólares.

 

Texto: Ana Filipe Silveira e Patrícia Correia Branco; Fotos: D.R. e reprodução redes sociais
PUB