“Levo isso como um elogio”: Ana Moura reage ao ser comparada com Ana Malhoa

Ana Moura é constantemente comparada com a cantora Ana Malhoa. A fadista explica como reage a estes comentários.

21 Nov 2022 | 8:10
-A +A

Ana Moura foi sujeita às perguntas impiedosas d’As Três da Manhã em mais um “Desculpa, mas vais ter de perguntar”. A fadista foi confrontada com várias questões e não deixou nada por dizer.

“Na primeira fase da tua carreira havia muita comparação com outras fadistas, a Carminho, a Mariza, etc. Agora comparam-te com quem? Com a Ana Malhoa?”, perguntou Inês Lopes Gonçalves.

Entre risos em estúdio, Ana Moura foi pronta na resposta: “olha, digo-te, realmente há comentários que me chegam no Instagram a dizer assim: ‘ah, pareces a Ana Malhoa’. E eu: ‘ainda bem porque eu acho a Ana Malhoa uma mulher lindíssima e pronto’, levo isso como um elogio”, respondeu.

 

Ana Moura fala de Pedro Mafama

 

Ana Moura revelou detalhes sobre o início da relação com Pedro Mafama. Foi no Posto Emissor,  podcast do Expresso, que a fadista contou tudo. Ana Moura confessou que, quando conheceu o artista, este estava “perdido de amores” por outra pessoa.

“Tanto eu como o Pedro, nós trabalhamos em casa, e as nossas vidas profissionais estão muito ligadas, elas cruzam-se. Isso é uma coisa bonita, e é também uma coisa bonita de ser partilhada. Eu não vou estar a esconder nada. Seja qualquer participação do Pedro no meu disco, seja eu a entrar na música que o Pedro faz, e é tudo feita de forma muito bonita”, começou por dizer.

“A nossa história de amor passou de uma relação profissional a pessoal. Eu fiquei interessada pela música do Pedro, mas depois conhecemo-nos, e pronto… eu apaixonei-me. O Pedro andava perdido de amores por outra pessoa”, recordou ainda.

“É daqui que também nasce o ‘Sozinha Lá Fora’, mas ficámos muito tempo a fazer parte do mesmo círculo de amizades, mas não tínhamos relação. Mas, lá está, ainda bem que não tínhamos relação. Aliás, o disco está cheio de referências a esta vida que eu fui vivendo nestes tempos. E ainda bem que não começámos logo a namorar porque me deu espaço também para estar sozinha e conhecer imensa gente e conhecer imensas possibilidades de ‘ser’”.

“Acabámos por nos juntar, hoje estamos felizes, mas sim. As coisas acontecem por uma razão e ainda bem que assim foi”, rematou. Deste amor nasceu Emília.

 

Texto: Márcia Alves; Fotos: Reprodução Instagram

 

PUB