Contrato com a TVI acaba em dezembro. Manuel Luís Goucha revela planos para o futuro

Manuel Luís Goucha já tinha dito que pretendia reformar-se, mas mudou de ideias. O apresentador revela o que pretende fazer a partir de 2023.

14 Mai 2022 | 11:50
-A +A

A 31 de dezembro deste ano, Manuel Luís Goucha e a TVI terminam a ligação contratual que os une desde novembro de 2018, altura em que renovou pela última vez. Depois de já ter dito que, no final deste contrato, ponderava afastar-se, o apresentador reformula: “Não me vou reformar. Aquilo que eu dizia há dois anos é que quero ter outra vida, quero ter tempo para usufruir da minha herdade, quero ter tempo para viajar”.

Esse desejo de abrandar mantém-se, mas o seu programa, “Goucha”, é um entrave. “A minha vida complicou-se com este programa. Como tenho um programa em nome próprio, para ir de férias tenho de gravar programas. Faço das 16h às 18h em direto e depois gravo outro a seguir”, conta, explicando que quer continuar a trabalhar, mas que alguma coisa terá de mudar. “Quando acabar o contrato, quero ter outra vida que nunca tive. O trabalho é a minha casa e eu só vivo para isto. Tenho de preparar um programa diário, com conversas de 50 minutos. Quero ter tempo para ler livros… O que tinha programado era, para o próximo ano, ficar a fazer semanais ou o que a televisão quisesse”, diz, brincando de seguida que tal não vai acontecer.

Mais a sério, Manuel Luís Goucha sabe que a televisão “tem de ter um limite”. “Há uma coisa que eu quero e que aprendi com o Rui. Eu é que dito as minhas saídas. Eu é que quero sair da televisão e não que a televisão me ponha fora“, afirma, acrescentando que o limite para estar em antena vai ser estabelecido pela sua agilidade mental e física. “Não quero andar aqui a arrastar-me, mas, se andar de andarilho, eles serão a condizer”, brinca, rematando: “O limite tem de ser o bom senso.”

Texto: Luís Correia; Fotos: Reprodução redes sociais

PUB