Corpo de Roberto Leal segue para cemitério em camião de bombeiros. Veja as imagens!

O corpo de Roberto Leal seguiu da Casa de Portugal para o Cemitério Congonhas num camião de bombeiros. A expressão de dor no rosto do filho Rodrigo Leal foi a mais marcante do dia.

17 Set 2019 | 11:22
-A +A

As exéquias fúnebres de Roberto Leal ficaram marcadas pela comoção da família do cantor e de centenas de fãs que não quiseram faltar ao último adeus do artista português com mais popularidade no Brasil, primeiro no velório, na Casa de Portugal, em São Paulo, e depois no enterro, no Cemitério Congonhas.

Imagens captadas, na tarde desta segunda-feira, durante o cortejo fúnebre e partilhadas, mais tarde, nas redes sociais mostram dezenas de carros a acompanhar o cortejo fúnebre de Roberto Leal. O corpo seguia num camião de bombeiros, no qual sobressaía uma fusão da bandeira de Portugal, onde o cantor nasceu, com a do Brasil, para onde foi viver aos 11 anos.

 

Veja todas as imagens na galeria.

 

A expressão de dor no rosto do filho Rodrigo Leal foi a mais marcante da tarde. Horas antes, o também música confessava à imprensa brasileira que o pai morrera sem noção da gravidade do cancro contra o qual lutava. «Ele não parou, foi o que o fez viver. Nós mentimos-lhe. Ele não soube o que tinha até morrer», contou.

«O meu pai não tinha estudos, a faculdade dele era a da vida. Conseguimos ludibriá-lo em termos clínicos. Enquanto o cancro colocava mais um ponto no fígado, nós dizíamos-lhe: ‘Estás apenas com uma manchinha’. Nós disfarçámos sempre para que a cabeça dele nunca fosse abaixo», revelou ainda.

Roberto Leal travava, de facto, uma luta contra um cancro de pele, diagnosticado há cerca de dois anos, mas não terá sido o melanoma a causa da morte. De acordo com o portal de notícias G1, pertencente à Globo, o português nascido em Vale da Porca, Macedo de Cavaleiros, e radicado no Brasil, perdeu a vida após ter tido uma reação alérgica a um medicamento, que se traduziu numa insuficiência renal e hepática.

António Joaquim Fernandes, o nome de batismo de Roberto Leal, morreu na madrugada de domingo, 15 de setembro, após seis dias dias de internamento no Hospital Samaritano, em São Paulo. Completaria 68 anos a 27 de novembro.

O cantor de êxitos como ArrebitaUma Casa Portuguesa e Chora Carolina era casado há mais de quatro décadas com Márcia Lúcia A. Fernandes e deixou três filhos: o produtor e músico Rodrigo Leal, de 39 anos; a atriz Manuela Fernandes, de 36; e o pintor Victor Diniz, de 29.

 

VEJA TAMBÉM:
Filho escondeu doença a Roberto Leal. «Mentimos-lhe e ele não soube o que tinha»
Bruno Nogueira recorda Roberto Leal: «O coração dele não cabe em dois países»
Roberto Leal numa das últimas entrevistas: «Dei o concerto de cadeira de rodas»

 

Texto: Dúlio Silva | Fotografias: AG News

PUB
Top