Criptomoedas: porque são tão populares entre os investidores?

Não basta investir em Bitcoin, comprar Stellar ou apostar todo o dinheiro em Dogecoin. É necessário perceber como funciona o mercado, estar a par da performance das várias moedas digitais.

13 Set 2021 | 14:39
-A +A

A popularidade das criptomoedas não para de crescer desde que o Bitcoin, a primeira das moedas digitais, foi criada no ano de 2009. Afinal de contas, são várias as vantagens e benefícios que explicam essa tendência. Contudo, nos últimos tempos, estas tornaram-se também num dos activos favoritos dos investidores de todo o mundo para rentabilizarem as suas poupanças.

No entanto, não basta investir em Bitcoin, comprar Stellar ou apostar todo o dinheiro em Dogecoin. É necessário perceber como funciona o mercado, estar a par da performance das várias moedas digitais e prever com a maior exactidão possível quando dar a ordem de compra ou venda da sua carteira de criptomoedas. Para isso, é necessário estar por dentro de todo este sector e estar a par de todas as novidades que vão acontecendo no mundo das moedas digitais.

É fácil perceber o porquê desta popularidade entre os investidores e empresários internacionais: as criptomoedas são um activo cada vez mais valioso, que permite ganhar muito dinheiro num curto período de tempo, graças à sua enorme volatilidade. Obviamente que também comporta vários riscos associados, como qualquer outro instrumento financeiro aliás, mas como os benefícios compensam largamente o custo, a tentação acaba por ser grande.

O QUE SÃO CRIPTOMOEDAS?

Antes de mais, é fundamental começar pelo início de tudo e perceber muito bem no que consistem as criptomoedas. Estas são moedas virtuais, que funcionam exatamente da mesma forma do que qualquer outra moeda física, mas que tem existência apenas digital. Ou seja, tal como o dólar ou o euro, podem ser utilizadas para transações financeiras, mas não têm correspondência física no mundo real.

Isso acontece graças à tecnologia blockchain, uma espécie de redes de servidores que garante a sua total segurança e, mais importante ainda, a sua total privacidade. Isto significa que toda e quaisquer transferência com criptomoedas é totalmente anónima, o que se torna ainda mais pertinente numa altura em que a privacidade e a proteção de dados estão cada vez mais comprometidas.

Além disso, graças à tecnologia blockchain, as criptomoedas tornam-se assim totalmente descentralizadas, sem a necessidade de uma entidade terceira que regule e controle o mercado. Tomemos por exemplo o caso das moedas tradicionais. Nesse caso, é o Banco Central que garante toda a veracidade e credibilidade de cada transação. Mas com as moedas digitais, essa terceira parte fica dispensada, garantindo assim a privacidade de quem executa a operação, mas também salvaguardando as criptomoedas das flutuações do mercado devido à inflação.

VANTAGENS E DESVANTAGENS EM INVESTIR NAS CRIPTOMOEDAS

Isso quer dizer que o valor de cada criptomoeda varia apenas consoante a demanda da procura, limitando-se à mais pura relação mercantilista entre a procura e a oferta. Ou seja, quanto maior for a procura, o valor do ativo será exponencialmente maior. É isso que explica a volatilidade do preço de cada moeda digital, tornando-a num ativo financeiro muito apetecível para os investidores, já que podem ganhar muito dinheiro em curtos períodos de tempo.

No entanto, tal como existem vantagens em investir em criptomoedas, também é fundamental estar ciente dos riscos associados. Afinal de contas, o mercado financeiro não é uma ciência exata e, como tal, é impossível ter sempre sucesso. E quem lhe garantir o oposto é porque estará certamente a mentir. Por isso, é fundamental adotar desde logo uma postura sensata, responsável e inteligente, para garantir que não investe acima das suas possibilidades nem corre riscos desnecessários.

Assim, da mesma forma que traz vantagens, o facto de não ser um sector regulamentado também traz desvantagens a quem investe nas moedas digitais. É certo que o facto de ser um sistema anónimo e descentralizado o tornam apetecível para intuitos menos legais, incluindo o financiamento de atividades terroristas, mas existem outros riscos associados.

Por exemplo, se se enganar e transferir algum dinheiro para a pessoa errada, não tem como pedir um reembolso de volta, porque não há uma entidade reguladora a controlar as transações. Além disso, é também um território fértil e apetecível para todos burlões, que procuram engendrar esquemas fraudulentos para enganar utilizadores que não estão bem por dentro do sistema e acabam por cair na esparrela e no conto do vigário. Ou seja, mais uma razão para estar duplamente atento e alerta no momento de investir em criptomoedas.

PUB
Top