“Culpado”: Candidato a primeiro-ministro comprou reality show para a TVI

João Cotrim de Figueiredo, candidato a primeiro-ministro pela Iniciativa Liberal, já foi diretor-geral da TVI. Foi ele quem, em 2011, apostou num novo reality show: “Casa dos Segredos”.

24 Jan 2022 | 22:33
-A +A

João Cotrim de Figueiredo, candidato a primeiro-ministro nas eleições legislativas que vão acontecer no próximo domingo, recordou a sua passagem pela TVI. Em 2009, o atual presidente da Iniciativa Liberal foi o escolhido pela então administração da Media Capital para substituir José Eduardo Moniz na direção-geral da estação de Queluz de Baixo.

Treze anos depois, João Cotrim de Figueiredo participou na iniciativa “120 segundos”, na qual os candidatos a primeiro-ministro respondem a perguntas improváveis, fora do universo político, durante dois minutos. As mini-entrevistas estão a ser exibidas no principal bloco informativo da TVI: “Jornal das 8”.

À questão sobre se alguma vez já tinha visto o “Big Brother”, o presidente da Iniciativa Liberal não só disse que sim como lembrou um dos momentos que marcaram o período em que decidia os destinos do canal. “Não só vi o ‘Big Brother’ como, quando estive na TVI, comprei o ‘Secret Story’. Portanto, sim, culpado”, brincou o candidato a primeiro-ministro, de 60 anos.

O formato “Secret Story”, que no nosso país ficou conhecido como “Casa dos Segredos”, estreou-se na TVI em outubro de 2010. Júlia Pinheiro foi a anfitriã dessa edição inaugural. Com o regresso desta apresentadora à SIC, a direção da estação de Queluz de Baixo chamou Teresa Guilherme, que só foi afastada da condução do reality show na sétima temporada, apresentada por Manuel Luís Goucha. Essa edição, de resto, marcou a despedida (não necessariamente definitiva) do formato da antena da TVI. Desde 2018 que o programa não é produzido em Portugal.

João Cotrim de Figueiredo abandonou o canal da Media Capital em outubro de 2011. Em 2019, tornou-se presidente da Iniciativa Liberal, tendo sido eleito deputado da Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Lisboa.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais
PUB