Cyberbullying: Cristina Ferreira já entregou petição e vai à Assembleia da República

Cristina Ferreira disse à TV 7 Dias que a petição criada por ela para que o cyberbullying seja debatido politicamente já foi entregue à Assembleia da República.

26 Dez 2020 | 8:00
-A +A

“Qual próximo passo? É ir daqui para a Malveira”, brincou Cristina Ferreira, quando questionada pela TV 7 Dias sobre a situação em que se encontra a petição online lançada pela própria, no final do mês de novembro, com a qual pretende discutir o ódio e a agressão gratuita que acontece na Internet.

Brincadeiras à parte, a apresentadora foi clara quanto ao que vai acontecer ao documento que já reúne o número de assinaturas mínimas necessárias para que o tema seja levado à Assembleia da República.

“A petição já foi entregue e, portanto, agora seguimos os passos legais. Quando formos chamados à Assembleia [da República], iremos”, disse a atual Diretora de Entretenimento e Ficção da TVI, à nossa publicação, no final da emissão especial “Noite de Cristina”. O programa, exibido este sábado, 19 de dezembro, foi pautado por momentos de muita gargalhada e uma situação de tensão.

 

Petição de Cristina Ferreira com mais de 50 mil assinaturas

 

No passado dia 28 de novembro, Cristina Ferreira foi ao “Jornal das 8”, da TVI, para falar sobre o cyberbullying, tema este abordado no seu mais recente livro, “Pra Cima de Puta”.

Na sequência da sua aparição no espaço informativo da estação de Queluz de Baixo, a apresentadora anunciou que iria lançar uma petição para que o tema fosse debatido na Assembleia da República.

Pouco mais de duas horas após o rosto da TVI ter disponibilizado o link para aceder à página, a petição online contava 17 mil assinaturas. Eram, já naquela altura, mais 13 mil do que as necessárias para que esta seja levada ao Parlamento: quatro mil.

Até ao momento da publicação deste artigo, a petição conta já com mais de 50 mil assinaturas.

 

Receitas do livro vão para associações

 

Ainda durante a sua presença no “Jornal das 8”, Cristina Ferreira garantiu a José Alberto Carvalho que as receitas do livro serão entregues a associações que combatem o cyberbullying.

“Qualquer euro que este livro possa vir a dar não me será entregue a mim. Será entregue a quem ao meu lado, a partir deste momento, luta pela dignidade de todos os outros. E isso é o principal no meio de tudo isto. Estamos a falar daquilo que já está convencionado, não só na nossa constituição, como também na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Temos todos direito à nossa dignidade, à nossa vida, à nossa privacidade, à nossa vida familiar e isso está ali, não está é aplicado na lei. É preciso fazê-lo”, afirmou, na altura.

 

Texto: Alexandre Oliveira Vaz e Ana Filipe Silveira; Fotos: reprodução redes sociais

 

VEJA TAMBÉM:
Vaca em estúdio: Manzarra lança farpas a Cristina e fala em momento “pobre”

PUB
Top