“Deixou-me a morrer”: Demi Lovato alega ter sido violada por traficante, em 2018

Demi Lovato alega que na noite em que sofreu a overdose, em 2018, foi violada pelo traficante e que quando a encontraram, “estava nua, azul”.

17 Mar 2021 | 16:10
-A +A

Demi Lovato alega que foi vítima de abusos sexuais na noite em que sofreu a overdose, em 2018, pelo próprio traficante. As revelações foram feitas no documentário “Dancing With the Devil”, que vai estrear-se este mês.

Sirah Mitchell contou que a artista norte-americana terá recebido heroína “misturada com fentanil” naquela noite de julho e que o traficante a “deixou a morrer”.

“Perdi a virgindade numa violação”

“Quando eles me encontraram, estava nua, azul. Fui literalmente deixada a morrer depois de ele se ter aproveitado de mim”, confessou Demi Lovato. “Quando acordei no hospital, perguntaram se tínhamos tido relações sexuais consensuais. Tive um flash dele em cima de mim. Vi aquele flash e disse que sim. Só um mês depois da overdose é que percebi: ‘tu não estavas em condições de tomar uma decisão consensual'”, continuou a artista.

Demi Lovato não conteve as emoções ao falar sobre os traumas com que ficou por causa desse incidente e recordou um outro episódio de abusos sexuais que viveu na adolescência. “Quando era adolescente, estive numa situação muito semelhante. Perdi a virgindade numa violação”, contou.

Veja o trailer do documentário

Texto: Mafalda Mourão; Fotos: Redes Sociais
Leia também:
Traficante que VENDEU DROGA a Demi Lovato revela: «Ela sabia o que estava a fazer»

PUB
Top