“Demito-me”. Will Smith abandona Academia dos Óscares após agressão a Chris Rock

Will Smith apresentou a demissão da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, na sequência da agressão a Chris Rock na última cerimónia dos Óscares.

02 Abr 2022 | 13:50
Will Smith
-A +A

Will Smith demitiu-se da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pela organização dos Óscares. Esta decisão do ator surge na sequência da agressão a Chris Rock, na última cerimónia de entrega dos prémios, mesmo depois de já ter vindo a público pedir desculpa pelo seu ato.

“Demito-me de ser membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e aceitarei quaisquer outras consequências que a ​​​​​​​Direção considere apropriadas”, lê-se num comunicado enviado às redações. “Respondi diretamente ao aviso de uma audição disciplinar da Academia e vou aceitar plenamente todas quaisquer consequências pela minha conduta. As minhas ações foram chocantes, dolorosas e imperdoáveis“, adiantou Will Smith.

“A lista daqueles que magoei é longa e inclui o Chris [Rock], a sua família, muitos dos meus queridos amigos e entes queridos, todos os presentes e o público global em casa”, sublinhou o ator, acrescentando ainda que traiu a “confiança da Academia” e que, por isso, apresentou a demissão: “A mudança leva tempo e estou comprometido em trabalhar para garantir que nunca mais permita que a violência se sobreponha à razão”.

Will Smith lamentou também ter privado “outros nomeados e vencedores de terem tido a sua oportunidade de celebrar e ser celebrado pelo seu trabalho extraordinário”. “Estou de coração partido. Quero colocar o foco de volta naqueles que merecem atenção pelas suas realizações e permitir que a Academia volte ao incrível trabalho que faz para apoiar a criatividade e a arte no cinema”, sublinhou.

Will Smith pediu desculpa a Chis Rock

Na segunda-feira, 28 de março – o dia a seguir à cerimónia dos Óscares -, Will Smith decidiu tornar público o seu arrependimento e dedicou um longo texto a Chris Rock. “A violência é venenosa e destrutiva em todas as formas. O meu comportamento na noite dos Prémios da Academia foi inaceitável e imperdoável. As piadas à minha custa fazem parte do trabalho, mas uma piada sobre a condição da Jada foi demasiado para mim e reagi emocionalmente. Gostaria de pedir desculpa, publicamente, a ti, Chris. Passei dos limites e estava errado”, assumiu.

Mas as palavras não se ficam por aqui. “Estou envergonhado e as minhas ações não são indicativas do homem que quero ser. Não há espaço para violência num mundo de amor e bondade”, acrescentou, pedindo ainda desculpa à Academia, a todos os que estavam envolvidos na produção da cerimónia e a quem viu e a agressão: “Gostaria de pedir desculpa à Academia, aos produtores da cerimónia, aos convidados, e a todos aqueles que assistiram ao evento, pelo mundo. Sou um trabalho em progresso”.

No mesmo dia, a Academia de Cinema dos Estados Unidos condenou a agressão e revelou que irá analisar o caso. “Iniciámos oficialmente uma análise sobre o incidente e iremos considerar possíveis ações e consequências, de acordo com os nossos regulamentos, padrões de conduta e segundo a lei da Califórnia”, afirmou a academia em comunicado citado pela imprensa norte-americana.

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: D.R.

PUB