Diretor de Informação da SIC arrasa Marcelo e é atacado forte e feio

O Diretor de Informação da SIC, Ricardo Costa, criticou a atuação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em relação à comunicação dos testes que fez à COVID-19.

14 Jan 2021 | 9:40
-A +A

O Diretor de Informação da SIC, Ricardo Costa, fez duras críticas ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no “Primeiro Jornal” desta quarta-feira, dia 12 de janeiro. O responsável da estação de Paço de Arcos afirmou que o chefe de Estado provocou “uma grande confusão” em relação à comunicação dos testes que fez à COVID-19 e foi arrasado por outro colega de profissão.

Durante a conversa com Bento Rodrigues, Ricardo Costa disse não achar necessário a constante divulgação de todos os resultados ao despiste do novo coronavírus efetuados pelo Presidente da República. “Fica uma grande confusão, embora haja um ponto a favor do Presidente, que é a obrigatoriedade de transparência, diferente de qualquer outro cidadão“, assumiu, acrescentando: “Obviamente, deve cumprir as regras, mas não tem de as comunicar permanentemente. Não deve estar a comunicar todos os resultados ao mundo.”

Nesse sentido, para o Diretor de Informação da SIC, houve uma má gestão por parte de Marcelo Rebelo de Sousa. “Faz sentido anunciar, como fez na semana passada a dizer que estava suspeito. E anunciar logo, porque se depois se sabe de outra maneira acabaria por ser acusado de estar a esconder uma possível infeção“, clarificou Ricardo Costa, para logo a seguir criticar: “As coisas foram muito mal geridas.”

Ainda, de acordo com Ricardo Costa, o Presidente da República deveria ter agido da seguinte forma: “O que teria sido mais lógico, depois da confusão de ontem de manhã [terça-feira], era esperar um pouco mais. Não se divulgar. Ficar três dias em casa e testar-se amanhã [quinta-feira], para tirar a prova dos nove.”

 

Ricardo Costa alvo de críticas no Facebook

 

No grupo “Jornalistas”, da rede social do Facebook, um internauta não concordou com a visão do profissional da SIC. “Ouvir hoje, às 13:00 horas, um diretor de uma estação de TV a dizer sem se rir que o Presidente da República deveria ter escondido os resultados dos testes, fazer outro daqui a dois dias e borrifar-se para as regras bem definidas a que os portugueses estão todos sujeitos e obrigados por lei, quanto ao confinamento profilático, no dia em que o chefe de segurança do PR testa também positivo, é de uma gravidade extrema“, lê-se.

E continuou: “Depois de a SIC se ter tentado constituir como a censura moral dos portugueses, com o raspanete do dia a chegar com o dedo em riste do pivô das 8 da noite, era o que nos faltava termos a Graça Freitas substituída pelo Ricardo Costa.”

 

Texto: Carolina Sousa Fotos: Arquivo Impala e D.R.

PUB
Top