Diretora-geral de Saúde critica encerramento da escola das netas de 3 anos

Graça Freitas, diretora-geral de Saúde, revelou esta quarta-feira que tem as duas netas gémeas de quarentena, por ter havido uma aluna doente na mesma escola, em Lisboa.

12 Mar 2020 | 11:26
graça freitas
-A +A

Graça Freitas, diretora-geral de Saúde criticou esta quarta-feira, 11 de março, a decisão da escola das suas netas de 3 anos, de encerrar portas por ter uma aluna doente. Em consequência, as gémeas, netas de Graça Freitas, estão de quarentena em casa com a mãe, que também é médica, e que não pode estar a trabalhar para tomar conta das filhas.

«Temos de ter muita sensibilidade nestas coisas. Vou-vos dizer: tenho duas netas num estabelecimento de ensino enorme. São pequeninas, têm 3 anos. Houve um caso de uma jovem, creio que de 17 anos, doente nesse estabelecimento de ensino, que tomou a decisão de encerrar. Ora, pois, as minhas netas, que nunca viram ninguém de 17 anos lá desse estabelecimento de ensino, estão em quarentena em casa, com uma mãe médica, que está em casa para ficar com as duas gémeas», criticou.

Esta quinta-feira, 12 de março, foi anunciado um novo aumento do número de casos. São atualmente 78 os infetados em Portugal. O anúncio foi feito pela Direção Geral de Saúde, que adianta ainda que há 637 casos suspeitos e 4923 em vigilância pelas autoridades de saúde.

«Devemos ter muito cuidado com as medidas que tomamos»

 

«Nós devemos ter sempre muito cuidado com as medidas que tomamos. Devemos tomá-las sempre com a autoridade de saúde, adaptadas ao risco, porque isto depois tem consequências sociais grandes. Se de facto há um estabelecimento de ensino em que as diferentes idades estão compartimentadas, podia ter sido encerrada apenas uma parte, mas sempre com apoio das autoridades de saúde e por determinação das autoridades de saúde», disse ainda, criticando a escola por ter fechado sem articular decisão.

Graça Freitas, de 62 anos, é médica desde 1981. Fez o internato no Hospital de Sanma Maria e no Centro de Saúde de Ponte de Sor. Entre 1996 e 2005 foi chefe de divisão da Divisão de Doenças Transmissíveis e de Vacinação da Organização Mundial da Saúde. Entre 2005 e 2012 foi subdiretora-geral de Saúde.

Texto: Marta Amorim | Fotos: DR

 

Veja mais:
Coronavírus: Rodrigo Guedes de Carvalho apela à união dos portugueses e é elogiado!
Colega de Ronaldo infetado por coronavírus. Jogador português recusa voltar a Itália

 

 

 

PUB
Top