Dois anos após a morte do pai, Diogo Valsassina recebe “sinal” especial

Diogo Valsassina chorou a morte do pai há dois anos. Esta segunda-feira, 19 de julho, recordou-o com saudade e relatou um episódio arrepiante

19 Jul 2021 | 22:30
-A +A

Diogo Valsassina perdeu o pai há dois anos e esta segunda-feira, 19 de julho, recordou-o com saudade. O ator fez questão de assinalar o segundo aniversário da morte do progenitor, contando um episódio inesperado e simplesmente arrepiante.

Recentemente, Diogo Valsassina tinha comentando com os seguidores que tinha um pássaro dentro de casa, mas não o conseguia encontrar. Acabou por encontrá-lo pousado ao lado da única fotografia que tem com o pai. O simbolismo desta “invasão” da natureza deixou o ator sem palavras.

Ao publicar a imagem da moldura com o pássaro ao lado, Diogo Valsassina relatou o episódio:

“Há uns tempos fiz um story porque tinha um pássaro dentro de casa e eu não sabia onde. Quando o encontrei ele estava aqui. Ao lado da única fotografia que tenho em casa com o meu pai. Neste dia em que faz dois anos que o perdemos, cada vez percebo mais que o meu pai está comigo sempre e em todo o lado. E se eu por acaso me esqueço ele faz questão de me lembrar seja de que maneira for. Tenho tantas saudades pai, mas eu recebo as tuas mensagens.”

Diogo Valsassina sobre a morte inesperada do pai: “Senti uma raiva”

Em novembro de 2020, o noivo de Ana Guiomar esteve à conversa com Daniel Oliveira, no Alta Definição, e recordou a morte inesperada do pai.

“O meu pai faleceu em casa, eu estava a gravar um programa. Por acaso levei o telemóvel, começou a vibrar, eu não podia atender. Depois houve uma pausa e vi uma mensagem da minha mãe a dizer que o meu pai não se estava a sentir bem. Liguei e atendeu-me o meu irmão, fora de si. Saí do estúdio, cheguei a casa e já lá estava o INEM. O meu pai estava a receber assistência. A última vez que o vi ele estava no chão, com o INEM a tentarem reanimá-lo. Quando a médica sai e diz que tentaram tudo e que não conseguiram. A minha mãe e o meu irmão viram tudo. Estava num misto de: ‘agarrem-me mas larguem-me. Abracem-me, mas deixem-me em paz. Senti uma raiva…”, relatou.

Leia tudo aqui.

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: Impala e reprodução Instagram

PUB
Top