Drama em Quero é Viver: Maria apanhada a conduzir com álcool com a filha no carro

Em breve, na novela “Quero é Viver”, da TVI, Maria vai ser apanhada a conduzir alcoolizada. Zé Luís fica furioso e obriga-a a fazer um tratamento.

17 Jul 2022 | 18:50
-A +A

Nos próximos episódios de “Quero é Viver”, na TVI, Maria (Rita Pereira) conduz devagar a caminho de casa dos pais, muito embriagada. Disfarça a sua tensão por ser mandada parar numa operação stop. O polícia repara com ar grave que Maria está sobre o efeito de álcool e questiona: “Consumiu bebidas alcoólicas?” Ela mente e diz que não, mas o agente pede-lhe para fazer o teste. “1,2g de álcool no sangue? Sabe o que significa este valor? Minha senhora, nem sei como se aguenta em pé. 1,2 gramas de álcool no sangue é crime, e punido com pena de prisão que pode ir até um ano”, diz-lhe o agente. Maria olha-o muito tensa.

De seguida, o agente informa-a que ela pode fazer contraprova no hospital, não a podendo deixar sair dali a conduzir, reprovando o risco a que ela expôs a sua filha. Maria fica sem saber que dizer, encurralada, acabando por pedir ajuda a Zé Luís (Filipe Vargas).

Pouco depois, este chega e ela pede-lhe que a ajude a safar daquela embrulhada, mas Zé Luís diz-lhe, ríspido, que ela foi longe demais ao ter-se embriagado com Maria do Loreto, a filha, no carro, indo tirar-lhe os filhos. Maria descai-se e diz que a bebé nem sequer é filha dele. De seguida, é levada no carro da polícia, arrasada.

Horas mais tarde, Natália (Fernanda Serrano) conversa com a irmã, que aceita fazer terapia do seu problema alcoólico desde que isso não implique ficar internada. Zé Luís aproxima-se e, juntamente com Natália, faz frente a Maria a dizer-lhe que ela tem de fazer o que for preciso para se tratar. Ela olha-os, tensa. Já a sós com o ex-cunhado, a psicóloga diz-lhe que ele já devia ter procurado a família mais cedo para ajudarem Maria com o seu problema alcoólico, assumindo que nunca pensou que o problema fosse tão grave. Natália promete à irmã que a vai ajudar no seu problema, Maria chora triste.

Texto: Neuza Silva; Fotos: D.R.

PUB