E Cristina tudo mudou! 365 dias que abalaram a TV portuguesa

22 de agosto de 2018. O dia que marcou o início do processo de transferência de Cristina Ferreira para a SIC e que foi o pontapé de saída para uma verdadeira revolução na televisão portuguesa.

25 Ago 2019 | 17:55
-A +A

22 de agosto de 2018 foi o início de uma tempestade mediática cujos efeitos se sentem até aos dias de hoje. Nesse dia, o país ficava a saber que Cristina Ferreira, a galinha dos ovos de ouro da TVI, o trunfo da estação de Queluz de Baixo, ia abandonar a estação. E que ia para a concorrência.

Após 16 anos na TVI, Cristina Ferreira mudava-se para a SIC, canal que estava já em processo de transformação, com a entrada, no mês anterior, de Daniel Oliveira para o cargo de diretor geral de entretenimento. 

Nesse mesmo dia, A TVI confirmava a não renovação da ligação contratual com a apresentadora, na altura com 40 anos.

«A TVI e Cristina Ferreira acordam em não renovar o contrato de prestação de serviços da apresentadora que está em vigor até 30 de novembro de 2018. As partes encontram-se atualmente a negociar os termos aplicáveis à cessação da relação contratual vigente e bem assim do vínculo laboral existente». A última aparição de Cristina Ferreira na TVI aconteceu na Festa de Verão da estação. Não houve direito a despedidas, apesar de o canal ter continuado a exibir, até fevereiro de 2019, os episódios gravados do concurso Apanha Se Puderes.

A imprensa nacional avançou na altura que Cristina iria ganhar 80 mil euros por mês, valor esse que nunca foi confirmado. Certo é que, a par de Herman José, que se mudou para a SIC em 2000, esta era a transferência do século. 

Tal como a TV 7 Dias avançou na altura, além de um salário base, a apresentadora acordou receber um valor extra por cada objetivo cumprido. E quem diz objetivos diz audiências. Este acordo, como se pôde comprovar em janeiro, foi cumprido logo de imediato, com a liderança pujante e incontestada nas manhãs. O mesmo não se tem verificado, no entanto, nas tardes, com Prémio de Sonho a perder para O Preço Certo. Mas já lá vamos.

Ainda o Verão não tinha terminado e já começava outra novela: a da separação daquele que tinha sido, na última década, o casal mais bem sucedido da TV portuguesa. Cristina e Goucha apartavam caminhos… mas teria sido o divórcio em bons termos? Ao longo de 12 meses, em várias ocasiões, ambos garantiram que a amizade não saiu maculada. 

A chegada a Carnaxide

A 17 de setembro, a malveirense estreia-se na SIC. Não num programa mas numa entrevista conduzida por Rodrigo Guedes de Carvalho, em pleno horário nobre, no Jornal da Noite. Revelava que, ao contar a Manuel Luís Goucha que iria sair da TVI, os dois desataram num pranto.

«Liguei várias vezes para o Manuel e acabámos a chorar os dois desalmadamente», revelava. A entrevista ficaria também marcada por uma polémica: o momento em que Cristina Ferreira comparou o impacto da sua saída da TVI à morte da princesa Diana.  A Internet, claro, não perdoou. 

Em outubro, a nova estrela da SIC confirmava que iria conduzir as manhãs sem um parceiro. Nesse mês, eram iniciados os alicerces daquela que seria a nova ‘casa’ de Cristina. Uma casa como nunca antes se tinha visto… pelo menos na TV portuguesa.

Chegou novembro, o mês que assinalou o fim do vínculo oficial entre Cristina e a TVI. E é também nesse mês que é revelado o nome da senhora que se segue. E veio do Norte a mulher a quem coube a titânica tarefa de substituir Cristina no Você na TV. 

Desde novembro até agora, Maria e Cristina cruzaram-se apenas uma vez, na festa de abertura de uma loja de decoração no Porto. Nessa altura, ainda estava para as atingir o tsunami da batalha das audiências nas manhãs dos dois canais.

Dezembro de 2018 e a apresentadora oferece um presente aos seguidores, admiradores e curiosos, todos ansiosos por saber, afinal, o que ia fazer para os lados de Carnaxide. É apresentado O Programa da Cristina e anunciado o dia D, a hora H: 7 de janeiro de 2019, 10h00.

Antes da entrada do novo ano, a TVI antecipa-se e anuncia a estreia de Maria Cerqueira Gomes para 2 de janeiro. Antes disso, começam as trocas. Regressa o Dança com as Estrelas, o primeiro programa a solo de Cristina Ferreira na TVI, desta vez com Rita Pereira e Pedro Teixeira na apresentação do formato.

O primeiro dia do resto da vida de Cristina

A entrevista de Cristina Ferreira no Alta Definição de 5 de janeiro de 2019 , vista por um recorde de 1,1 milhões de apresentadores, foi uma espécie de aperitivo para o que viria a acontecer, dois dias depois. Com pompa e circunstância, e uma casa de luxo construída num estúdio de televisão, eis Cristina 2.0, versão SIC.

A estreia do novo programa das manhãs da SIC foi também marcada por um acto que teve tanto de inédito como de polémico: um telefonema do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.  O arranque d’O Programa da Cristina teve como convidado principal Luís Filipe Vieira, líder do clube com mais adeptos do país, quase uma premonição de vitória para a anfitriã.

Que se confirmou, mal no dia seguinte caíram os números das audiências. 542 mil telespectadores, e 35,8% de share, contra os 353 mil telespectadores e 24,7% do Você na TV  108 mil telespectadores e  7,3% de share da Praça da Alegria. Uma vitória que se mantém até aos dias de hoje e que ajudou a catapultar outro momento histórico: o fim da liderança da TVI.

O início de março foi o fim de uma era. 150 meses depois, a estação de Queluz de Baixo deixava de ser líder. Com 18,6% de share, apenas uma décima acima da TVI, a SIC sagrava-se pela primeira vez em 14 anos, líder. 

E desde então, a tendência não mais se inverteu.

Recordes, polémicas e a primeira derrota

A entrevista a António Costa, a 5 de março, na terça-feira de Carnaval, é até hoje a emissão mais vista do programa de Cristina Ferreira. 746 mil espectadores acompanharam a emissão que contou com a participação do primeiro-ministro.

Ao longo de oito meses de emissões, o programa das manhãs da SIC foi palco de momentos hilariantes, dolorosos, emocionantes e também de muita polémica. Luciana Abreu e Diogo Amaral protagonizaram alguns dos momentos mais chocantes do formato. A ex-Floribella deixou Cristina Ferreira sem palavras, ao ler uma missiva onde acusava o ex-marido Yannick Djaló de violência doméstica. 

O ator que dá vida ao padre Aníbal na série da SIC Golpe de Sorte assumia em direto, a 4 de julho, que consumiu drogas durante sete meses que teve de submeter a um programa de desintoxicação.

Agosto, o mês que marca um ano desde o anúncio da saída de Cristina Ferreira para a SIC é também o mês da primeira derrota da apresentadora na estação de Paço de Arcos. Prémio de Sonho, o concurso das tardes do terceiro canal, arrancou na liderança mas, ao quarto dia, perdeu para O Preço Certo.

A 29 de setembro, Cristina Ferreira vai estrear-se noutro desafio de peso: conduzir a 24ª gala dos Globos de Ouro, o momento alto do calendário da SIC. Um troféu já ninguém lho tira, o de estrela maior da televisão portuguesa do século XXI.

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala e redes sociais

 

 

 

 

 

 

PUB
Top