Edmar pede dinheiro a jornalistas para responder a questões: “Não faço polémicas grátis”

Edmar foi expulso no passado domingo, 21 de março, do “Big Brother – Duplo Impacto”, da TVI. Em conversa com os jornalistas, pede dinheiro para prestar declarações sobre temas que falou na casa.

27 Mar 2021 | 8:50
-A +A

Edmar Teixeira e Jéssica Fernandes foram expulsos de “Big Brother – Duplo Impacto”, da TVI, este domingo, 21 de março, e esta terça-feira fizeram o balanço da passagem deles pelo reality show da estação de Queluz de Baixo. O jovem inglês, como sempre, não teve “papas na língua” nem pudor em dizer o que pensa.

Assuntos relacionados com o pai não são falados com os jornalistas, a não ser que… “Se você quer falar disso, tem que pagar, porque eu não vou falar disso, desculpe lá. Só falo dessas coisas se pagarem. E podem pôr na revista: ‘O Edmar só fala desse assunto se pagarem'”, começa por dizer.

“Se vocês querem as verdades, paguem-me e depois eu falo, a bicha fala. A bicha está aqui para falar, mas também está aqui para ser paga. Desculpe lá… Eu sei que é o seu trabalho, mas também é o meu trabalho ser assim”, continua.

A bicha não tem vergonha de pedir dinheiro

E, questionado sobre a polémica com Luís Borges, comentador desta edição do “Big Brother”, Edmar volta a salientar aos jornalistas: “Se vocês querem que eu fale disso, têm de pagar. Pagamento! É verdade. Se querem polémicas, eu dou polémicas, mas tem de ser pago. Eu não faço polémicas grátis. Desculpe lá, mas não. No meu país (Inglaterra) – eu nasci em Londres, foi lá onde estudei, onde trabalhei -, somos pagos. Bichas são pagas”, garante.

E vai mais longe: “Eu também estou a filmar porque, se vocês mentirem em coisas, eu vou colocar o vídeo, porque a bicha não tem vergonha de pedir dinheiro. Vergonha é não pagar aos artistas. No meu país, isso é que é verdade. A bicha não fala se não é paga”.

Não ligaram à minha saúde mental

Edmar falou ainda que, aquando da entrada no “Big Brother 2020”, esteve em quarentena “18 dias”. “Obviamente que fiquei maluco. Obviamente que não podia dar os meus 100 por cento, porque eu não estava a 100 por cento”, realça.

Isso significa que entrou no reality show já desgastado? “Sim, eu estava sempre a dizer isso e ninguém queria ouvir essa parte. Só queriam saber das polémicas. Não queriam saber que eu não estava bem mentalmente (…) Não ligaram à minha saúde mental…”, aponta o dedo.

Relação com Bruno Savate

Dentro do “Duplo Impacto”, Edmar criou uma relação próxima com Bruno Savate. “Não ponham que eu estou apaixonado, porque a bicha não está apaixonada”, diz. “Se o Bruno fosse mesmo gay, eu já tinha puxado o homem, já tinha dito: ‘Oh homem, isso não vai funcionar, não és o meu género, nada disso, mas eu gosto muito dele como pessoa, um homem bué fixe, não tem preconceitos. Não há nada de mal que eu possa dizer dele. Eu gosto muito dele. Mas eu não estou apaixonado, não estou nada apaixonado”, garante.

“Se ele fosse homossexual, eu não ia dar com ele. Eu parava a brincadeira logo no dia. Porque não faz o meu género. Eu quero um homem, alguém que me agarre e me jogue na parede, alguém com pelos nas pernas e essas coisas”, dispara com uma gargalhada.

“Podia ter ganhado aquilo”

A participação do jovem inglês no reality show da TVI ficou marcado pela boa disposição de Edmar, que, apesar da “acesa” discussão que teve com Jéssica Fernandes, nunca duvidou de qual poderia ser o desfecho do programa. “Eu estava com aquela coisa que ia chegar até ao fim, mas não cheguei, mas foi melhor do que nada”, diz. “Gostei, fiquei feliz, porque o Edmar é feliz. Pode, às vezes, ser diva, mas diva das boas, não das más…”, assume.

E terá o apoio da banda britânica Little Mix ajudado a que Edmar fosse longe no programa? “Quem ajudou fui eu e a minha personalidade. Se eu entrasse no momento em que começou, tinha a certeza de que chegava à final e podia ter ganhado aquilo. (…) As Little Mix ajudaram-me a ficar feliz e contente, mas nesse aspeto não. Senão, tinha ganhado.”

Só falavam mal de mim por causa do Luís Borges

Fora da casa da Ericeira, o feedback das pessoas tem sido positivo. “A maioria das pessoas que falavam mal de mal eram os gays, as bichas. Mas sabe porquê? Por causa do Luís Borges. É só isso que vou dizer. Só falavam mal de mim por causa dele. Começaram todas a atacar-me, as bichas, porque pensavam que eu era uma vergonha para os gays, mas não sou”, defende-se.

E acrescenta, fazendo alusão à polémica que houve no BB 2020 com Hélder. “Se eu não estava bem da cabeça, ia estar a andar à porrada com o Hélder? Se fosse agora? Dava show. Ia ser polémica para o mês inteiro… O que importa é que me paguem as contas.”

Se vocês pagarem, dou informações polémicas”

No que diz respeito ao jogo, o ex-participante garante que gostava que “Joana ganhasse”.  “Tem uma personalidade forte. Ela está a ser diva. Tem um bom coração, mas é rígida. Acho que as pessoas não gostam de ver mulheres poderosas”, afirma.

Edmar revela ainda que vai para Londres na semana que vem.

E continua a afirmar… que, sobre determinados assuntos, quer falar, “mas só se pagarem”. “Então vocês estão a ganhar e eu não posso? Se vocês pagarem, dou informações polémicas… Iam vender”, finaliza.

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Reprodução Instagram
Leia também:
“Vai-te fod**”: Edmar responde ao “Big Brother” agressivamente e fãs pedem expulsão

PUB
Top