“Era a mulher que eu gostava de ser”: Fátima Lopes recorda a mãe vítima de covid-19

Fátima Lopes esteve no programa de Manuel Luís Goucha e recordou a mãe, que morreu a 26 de dezembro passado, vítima de covid-19.

03 Mai 2021 | 10:30
-A +A

Fátima Lopes esteve no programa de Manuel Luís Goucha e recordou a mãe, que morreu a 26 de dezembro passado, vítima de covid-19. A estilista madeirense, de 56 anos, explicou que fala de Lurdes Lopes, que perdeu a vida no Hospital Central do Funchal, com um sorriso no rosto porque, na sua “cabeça”, no seu “coração”, “ela está lá”, na Madeira, à sua “espera”.

“Eu vou dizer isto com um sorriso porque é verdade: Eu ia à Madeira diversas vezes por ano, mas só estava com a minha mãe de vez em quando. Na minha cabeça, no meu coração, ela está lá à minha espera. Portanto, dou por mim a pensar nela com um sorriso, porque ela está lá. Para mim, ela está viva”, diz Fátima Lopes ao apresentador da TVI.

“Tinha uma sabedoria que as pessoas do tempo dela tinham”

E porque não gosta de “falar de morte”, a estilista opta por lembrar a mãe como ela era em vida: “Uma mulher pequenina, mas com uma garra e uma força enorme”. “Ela era a matriarca, que tinha sempre a palavra certa. Tinha uma sabedoria que as pessoas do tempo dela tinham, a sabedoria prática da vida. O espírito de família que eu tenho, e que vou ter eternamente, vem dela”, acrescenta.

Fátima Lopes termina com um dos maiores elogios que podia fazer a Lurdes Lopes: “Era a mulher que eu gostava de ser”. “Não sei se consigo porque eu não tenho aquele espírito maternal. Nunca tive esse instinto, nem vontade de ser mãe”, termina.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução Instagram
Leia também:
Fátima Lopes reage à morte da mãe: “Deixou-nos um legado eterno”

PUB
Top