“Essa solidão eu sinto”. Eládio Clímaco foi operado e revela que se sente muito sozinho

Eládio Clímaco, de 80 anos, foi operado a um olho e vai voltar ‘à faca’ no próximo mês. O antigo apresentador da RTP revela que se sente cada vez mais sozinho.

15 Mai 2022 | 10:30
-A +A

Eládio Clímaco, de 80 anos, foi operado ao olho esquerdo, no dia 28 de abril, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e teve alta na mesma quinta-feira. “Em repouso”, o apresentador conta à TV 7 Dias que a cirurgia às cataratas “correu bem” e que, daqui a cerca de um mês, será “operado ao olho direito” pela mesma razão. “Foi fácil. Não houve dor, mas depois há um certo desconforto no pós-operatório”, admite o consagrado comunicador.

À nossa revista, Eládio Clímaco revela como descobriu o problema de saúde: “Tinha chegado a altura de trocar de lentes. Fui ao médico e ele disse-me que tinha cataratas mas que íamos esperar mais um ano para ver a evolução. Agora, passado esse período, continuava a ver as coisas um bocado nubladas.”

Reconhecendo que “a operação dá muita qualidade de vida”, o apresentador assume que “há sempre um bocadinho de ansiedade” e que, neste caso, não foi exceção. “Os olhos são os olhos…”, desabafa.

Eládio Clímaco: “Ficar sozinho não é muito agradável”

Figura incontornável na televisão portuguesa, Eládio Clímaco fala ainda sobre o seu atual estado de espírito. “Acho que feliz é uma palavra que não posso usar neste momento. Para já, porque já tenho a idade que tenho. Por outro lado, porque as pessoas do meu núcleo familiar foram partindo. Neste momento, estou sozinho. Para quem viveu sempre em família e com um núcleo bastante grande, ficar sozinho nesta idade não é muito agradável. Mas tenho de adaptar-me”, lamenta, ainda que com uma voz otimista.

Mas está sozinho ou sente-se sozinho? A resposta não tarda: “Tenho muita companhia… Mas sabe que há uma coisa que se chama solidão povoada. É uma solidão que está povoada de recordações, de outros tempos, de outras vidas… Essa solidão eu sinto, apesar de ter muitos amigos”, explica Eládio Clímaco, prosseguindo: “Acho que não há mecanismo para se combater esta solidão. É preciso contrariá-la. Para mim, o pior é estar em casa sem falar.”

Eládio Clímaco não gosta da música portuguesa da Eurovisão

TV 7 Dias questionou ainda o anfitrião de várias edições do Festival da Canção sobre as expectativas que tem para a participação portuguesa no certame deste ano. “Olhe, para ser franco e sem ser depreciativo, porque a intérprete não tem culpa alguma, devo dizer que não gosto. Não quer dizer que o facto de eu não gostar não possa ganhar”, diz Eládio Clímaco, referindo-se ao tema “Saudade, Saudade”, composto e interpretado por Maro.

Reformado “há quase nove anos”, Eládio Clímaco já perdeu a esperança de voltar à televisão. “Cheguei à conclusão de que há países que não são para velhos e Portugal é um deles. Na altura em que me reformei, vinha cheio de força para fazer coisas novas. Mas não”, desabafa.

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala

PUB