“Estado muito grave”: Augusto Canário fica às portas da morte e é operado de urgência

Augusto Canário foi internado de urgência, em “estado de saúde muito grave”, e teve de ser submetido a uma cirurgia. Ultrapassado o susto, o popular cantor assume que o problema “poderia ser fatal”.

28 Jan 2022 | 21:35
-A +A

Augusto Canário correu risco de vida e, ultrapassado o susto de saúde, veio a público deixar um “eterno agradecimento” ao Hospital de Viana de Castelo por o “ter salvado”. As palavras são do próprio cantor, numa longa mensagem publicada, esta sexta-feira, nas redes sociais, na qual relata o sucedido.

Logo no início, Augusto Canário começa por explicar o motivo pelo qual “é inteiramente justa e verdadeira” as declarações supramencionadas, apesar de, admite, parecer “uma afirmação exagerada”. “Numa altura em que se põe sistematicamente em causa a qualidade do SNS [Serviço Nacional de Saúde] em Portugal, venho testemunhar a minha gratidão a todos quantos, sem exceção, me atenderam, me assistiram, me operaram e me cuidaram nos dias que estive internado”, justifica.

Depois, a revelação do que, de facto, lhe aconteceu. “Desde a minha primeira ida à urgência, no passado dia 14 de janeiro, até ao meu internamento, no dia 16 de janeiro, como qualquer pessoa que vi ao meu lado naqueles momentos de infortúnio, fui sempre muito bem atendido, nos momentos de alívio, de dores, diagnóstico e tomada de decisões para o tratamento adequado”, começa por referir.

Face ao seu “inesperado muito grave estado de saúde”, Augusto Canário e a família foram informados, num momento em que o cantor “ainda” estava “consciente”, “da urgência em ser intervencionado cirurgicamente e da incerteza do resultado final, que poderia ser fatal”.

O popular artista recusa avançar detalhes sobre o problema de saúde que o deixou entre a vida e a morte. “Os pormenores, ficam para mim e para quem comigo os viveu”, disse, vincando “a realidade com todas as letras”: “No Hospital Distrital de Viana do Castelo, salvaram-me a vida.”

“Dizer-se que o SNS é perfeito, não será correto. Dizer-se que os casos e o funcionamento são todos iguais, também não será uma boa avaliação. Mas, para o país que somos, para o constante ataque ao SNS, terei de concordar que estamos bem servidos. É necessário melhorar? Com certeza que sim. Isso temos que exigir aos políticos e a quem nos governa. Mas o SNS tem uma mais-valia essencial que lhe confere muita categoria: os seus profissionais”, destaca Augusto Canário.

“Foi o que vivenciei… Foi o que senti na pele… É o que posso testemunhar… E, mais uma vez, declaro:
o meu eterno agradecimento ao Hospital de Viana do Castelo por me ter salvado a vida”, repete o músico, em jeito de agradecimento.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala

PUB