“Eu não podia ser a Fátima”: Fátima Lopes abre o jogo após ano revolucionário

Fátima Lopes viveu um ano cheio de mudanças, decorrentes da pandemia da COVID-19 e a saída da TVI. A apresentadora diz-se agora uma “pessoa mais feliz”.

05 Mai 2021 | 21:30
-A +A

Fátima Lopes conversou com a NOVA GENTE sobre o último ano, repleto de mudanças. As alterações do quotidiano decorrentes da pandemia da COVID-19 e a saída da TVI, anunciada no início deste ano e concretizada em março, resultaram numa aprendizagem para a vida. “Eu não podia ser a Fátima”, conta a apresentadora à mesma revista.

“São coisas que nos mudam completamente. Se nós não nos sentirmos mudados com isto é porque não somos normais nem somos humanos. Uma pessoa normal tem de se deixar influenciar por isto, tem de arrumar isto em algum lado dentro dela”, prossegue Fátima Lopes, começando por se referir aos dois períodos de confinamentos alargado que o nosso país atravessou nos últimos 12 meses.

 

Fátima Lopes: “Tenho muitas outras valências enquanto comunicadora”

 

No seu caso, acrescenta, essa mudança resultou numa “pessoa mais feliz”. “Acho que aprendi a ver melhor o que é realmente importante e o que é realmente acessório”, explica.

Sobre o trabalho que tem desenvolvido desde que abandonou a TVI, Fátima Lopes deixa a garantia: “É a confirmação, de que se calhar eu precisava, de que eu tenho muitas outras valências enquanto comunicadora”.

 

Saiba tudo aqui.

 

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: reprodução redes sociais

PUB