“Eu tinha inveja”: Cláudio Ramos ficou “enervado” com decisão de diretores da SIC

Em 2014, Cláudio Ramos sentiu-se injustiçado por não ter sido escolhido pela SIC para assegurar o programa das manhãs. Em vez disso, a estação contratou João Paulo Rodrigues.

10 Set 2021 | 19:22
-A +A

Cláudio Ramos e Maria Botelho Moniz reencontraram, na emissão desta sexta-feira de “Dois às 10”, um amigo de outras paragens: João Paulo Rodrigues. Durante a conversa, o anfitrião das manhãs da TVI reconheceu publicamente que, em 2014, não gostou que a então Direção de Programas da SIC, liderada por Luís Marques, tivesse contratado o humorista para assumir o matutino da estação com Júlio Pinheiro.

“Tens saudades de fazer um programa da manhã?”, começou por perguntar Cláudio Ramos. Depois de alguma hesitação, João Paulo Rodrigues respondeu: “Fazer um programa da manhã, todas as manhãs, é uma coisa de muita responsabilidade e pesada. Às vezes, os temas são pesados. É preciso ter-se um estofo especial e, por isso, tenho muito respeito pelas pessoas que fazem isso.”

Reconhecendo que “adorou” apresentar “Queridas Manhãs”, exibido pela SIC entre 2014 e 2018, até à chegada de Cristina Ferreira ao canal de Paço de Arcos, o humorista considerou aquela experiência como “uma grande escola de televisão”. “Tenho saudades de estar convosco, mas foi uma fase”, disse.

“Aprendi muito, considerando que eu nem sequer era apresentador. Foi uma coisa que aconteceu na minha vida por acaso, mas à qual não podia dizer que não”, acrescentou Jota, como é carinhosamente tratado, ele que, antes de se mudar para a SIC, conduzia “Não Há Bela Sem João”, com Marisa Cruz, nas tardes de sábado da TVI.

Em jeito de balanço, João Paulo Rodrigues declarou que apresentar o matutino da SIC lhe “deu muita estrutra e muito fôlego para fazer outras coisas”. “Mas, como apresentador, gosto de coisas mais leves”, contrapôs.

 

Cláudio Ramos assume que “tinha inveja” de João Paulo Rodrigues

 

Foi nessa altura que Cláudio Ramos lembrou o que, sublinhou, já tinha partilhado com o amigo. “Fiquei tão enervado quanto tu foste para a SIC… Pensei: ‘Então, este agora vem para aqui? Então e eu?’. Falámos várias vezes sobre isso. Não ficou uma tensão, porque ele não tinha culpa. Eu estava ali há tantos anos”, justificou, assegurando que, já trabalhando com Jota, se “divertia muito com ele”.

O visado disse entender na perfeição o ponto de vista de Cláudio Ramos, a quem atirou vários elogios. “Eu percebo o Cláudio. O Cláudio é uma pessoa muito trabalhadora, não o conhecia e, portanto, não tinha uma opinião formada sobre ele. Mas acho que eu e o Cláudio ganhámos o respeito um do outro e isso fez com que ficássemos amigos”, afirmou João Paulo Rodrigues.

E prosseguiu: “O Cláudio idealizou e manifestou sempre isto na vida dele – fazer um programa de day time – e trabalhou muito para isso. Você não sabem aquilo que o Claudio trabalha atrás. E, por isso, eu percebo porque é que ele se sentiu injustiçado naquela altura.”

“Eu assumi mesmo na altura: eu tinha inveja do que ele estava a fazer”, atalhou Cláudio Ramos.

Atualmente, o humorista está sem projetos conhecidos em televisão. O último desafio foi como apresentador, na RTP1, onde conduziu o concurso “Não Te Esqueças da Letra!”.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB