Famosos furiosos com investigação da TVI

Manuel Luís Goucha e Tânia Ribas de Oliveira manifestaram-se sobre investigação levada a cabo pela jornalista Ana Leal.

10 Dez 2017 | 15:31
-A +A

Pulhas». Uma palavra apenas de Manuel Luís Goucha expressa a indignação em relação ao que expõe a reportagem da TVI. A investigação levada a cabo pela jornalista Ana Leal expõe a gestão danosa da Associação Raríssimas, presidida por Paula Brito e Costa.

Já Tânia Ribas de Oliveira manifestou a sua opinião com um longo texto:

«A reportagem da Ana Leal deixou-me profundamente enojada com a ‘gestão’ vergonhosa da Raríssimas, na pessoa da Paula Costa. Tanto dinheiro público gasto em proveito próprio (subsídios direccionados a crianças com doenças raras que foram utilizados em viagens, bmw, roupa caríssima…) tanta altivez, tanta arrogância desmedida. Obrigada a quem denunciou, tem razão: ‘para os maus vencerem basta que os bons não façam nada’.

E não, Paula, nós não somos todos iguais. Entre outras diferenças igualmente importantes, uns são ladrões. Outros não. Vergonha.»

Presidente usava fundos para gastos pessoais

A Investigação TVI, exibida este sábado, 9 de dezembro, dá a conhecer gestão danosa de Paula Brito e Costa. Ordenados elevados da presidente, marido e filho e outros gastos com dinheiros do Estado estão a gerar onda de indignação nacional. A isto juntam-se supostos mapas de deslocações fictícias, compra de vestidos de alta-costura, carros de luxo e gastos pessoais em supermercados.

 Tal como a contratação do atual secretário de estado da Saúde como consultor. Manuel Delgado recebia 3000 euros por mês, tendo chegado a ser pago com subsídios do Estado, destinados a apoiar crianças com doenças raras. Ana Leal, jornalista responsável pela grande reportagem, tentou entrevistar, em duas ocasiões, Paula Brito e Costa. Mas a presidente recusou as duas entrevistas, sempre à última da hora  (Ler mais…).

 

 

 

 

PUB
Top