Fanny ataca colegas e defende concorrentes:”Têm um horror de gente a apontar-lhes o dedo”

Fanny Rodrigues garante que os concorrentes de “Big Brother”, da TVI, não se soltam mais por sua culpa e dos colegas comentadores. Pedro Crispim não gostou e respondeu à jovem de Oliveira de Azeméis.

04 Fev 2021 | 18:55
-A +A

Fanny Rodrigues acusou-se a ela própria e aos restantes comentadores do “Big Brother – Duplo Impacto” e explicou que, por causa deles mesmos, jamais voltaria a participar num reality show.

No “Extra” desta quarta-feira, 3 de fevereiro, a ex-“Casa dos Segredos” não resistiu e defendeu os concorrentes da casa mais vigiada do País, afirmando que parte da razão pela qual estes não são “mais sinceros, mais frontais e mais honestos” é por sua “culpa” e dos colegas.

“Eles sabem que nós estamos aqui a comentar, a julgar, que somos campanha para o bom e para o mau. Sabem que cá fora tem um horror de gente a apontar-lhes o dedo. Se não, eles davam muito mais dinâmica, mais discussão… Todos os que estão ali sabem que a gente agora um bom conflito, uma boa risada, uma boa cambalhota, e sabem o impacto que têm”, começou por dizer Fanny.

Pedro Crispim avisou: “Não digas isso muitas vezes, porque para o próximo reality show não somos contratados. Se o nosso lugar é colocado em causa, inclusive pelos próprios…”. Fanny prosseguiu: “Mas isto é verdade”.

“Rasgamos a atitude e os comportamentos, não a pessoa”

“Eu tenho de ser muito sincera, porque já fui ex-concorrente e agora estou aqui a ser o mais transparente possível. Se, hoje em dia, me fizessem um convite para entrar para ali, tinham de me dar um rim, um pulmão, uma perna, um corpo todo. Eu tenho a noção que ia estar lá dentro e ninguém ia gostar de mim a 100 por cento e que, se calhar, vocês me iam rasgar”, reafirmou.

Alice Alves, que apresenta o formato noturno de comentários ao que de mais importante se passou no “Big Brother”, emendou a “belle portugaise”. “Atenção, não é rasgar a pessoa. Nós, aqui, comentamos os comportamentos. Rasgamos a atitude e os comportamentos, não a pessoa”, frisou.

“Há os dois lados da moeda”

Pedro Crispim teve a última palavra sobre o assunto, lembrando que quando uma pessoa se increve num programa “de livre vontade” ou é convidada “para estar neste reality show”, tal como acontece consigo, com Fanny Rodrigues e com outros, sabe, de antemão, “o efeito que isso vai ter”.

“Há os dois lados da moeda. Eles também têm de ter a noção do impacto que a sua entrada na casa vai ter. Ouço muitas vezes os concorrentes falar da família, dos filhos, dos pais… Obviamente que isso é uma equação que eles têm de fazer ao entrar na casa. Eu também tenho família”, rematou.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução Instagram

PUB
Top