Felipa Garnel e marido infetados com COVID-19: “Este vírus é mesmo traiçoeiro…”

Felipa Garnel, ex-Diretora de Programas da TVI, testou positivo à COVID-19 dias depois de o marido descobrir que também tinha contraído o novo coronavírus. “Não tivemos Natal nem Ano Novo”, revela.

06 Jan 2021 | 16:41
-A +A

Felipa Garnel, de 56 anos, está infetada com COVID-19. Também o marido da ex-Diretora de Programas da TVI, o neuropediatra Nuno Lobo Antunes, de 66, contraiu o novo coronavírus no final do ano passado.

A notícia foi dada pela própria, por intermédio das redes sociais, numa mensagem em que começa por desejar um “bom ano” a quem a segue. Depois, surge a revelação de que a quadra festiva foi assombrada pelo SARS-COV-2. “A nossa ideia era termos gravado um vídeo a desejar-vos um ótimo 2021, mas aqui o ‘Doutor’ testou positivo à COVID-19, no dia 22 de dezembro. Conclusão: não tivemos Natal, nem Ano Novo, nem ânimo para fazer um direto. Foram dias difíceis e, quando ele começou a melhorar, eu testei positivo”, escreve a ex-apresentadora de televisão.

Felipa Garnel descansa os seguidores e garante que, “por enquanto”, se sente “bem, apenas um pouco engripada”. Mas não deixa de alertar quem a lê: “Por favor, cuidem-se. Os números não param de subir. Só hoje houve mais 10.027 infetados (um valor recorde!) e este vírus é mesmo traiçoeiro…”

 

Felipa Garnel foi Diretora de Programas da TVI apenas meio ano

 

Felipa Garnel foi nomeada Diretora de Programas da TVI em julho de 2019, sucedendo a Bruno Santos, mas só resistiu no cargo meio ano, tendo sido substituída, em janeiro do ano seguinte, por Nuno Santos, hoje Diretor-Geral da estação de Queluz de Baixo.

Garnel entrou na televisão em 1988, pela mão de Nicolau Breyner, com a série “Os Homens da Segurança”, da RTP1, protagonizada por Nico e Tozé Martinho. Vestia a pele de Pipinha e a sua participação nesta trama policial proporcionou-lhe “perceber o que não queria fazer: ser atriz”, disse em tempos.

A atração pelas câmaras nunca mais a largou. Ao longo do seu percurso passou pela RTP, onde conduziu o concurso “Melhor É Impossível”, e pela SIC, tendo sido rosto de formatos como os magazines “Mundo VIP” e “Clube VIP” (neste caso com Margarida Pinto Correia) ou o reality show “Confiança Cega”. Fez também parte da equipa fundadora da revista Caras, da qual foi editora e diretora, e dirigiu a publicação mensal Caras Viagens.

Antes de dirigir os destinos da TVI, Felipa Garnel já tinha passado pelo grupo Media Capital, onde tinha estado como apresentadora – conduziu o programa “Face to F@ce”, na TVI Ficção, e foi jurada, na TVI, de “Canta por Mim” – e como diretora da revista Lux, que pertenceu ao mesmo grupo.

 

Texto: Dúlio Silva com Ana Filipe Silveira; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB